<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI

A importância dos dados para entender a performance de vendas

Publicado em 29/jan/2016 5:00:00

A tecnologia disponível hoje no mercado permite achar o consumidor de uma marca e influenciá-lo em tempo real.

A importância dos dados para entender a performance de vendas 

Há cerca de 10 anos, para se entender o comportamento de um consumidor, era preciso alimentar um banco de dados com os produtos que foram adquiridos nas lojas, fazer pesquisas de mercado, de satisfação e tirar o máximo de informações do cliente, enquanto ele permanecia em compra.

Hoje, porém, com o Big Data, é possível conhecer desde o perfil exato de quem gosta de uma marca, como esse consumidor se comporta, suas tendências de compras, até como essas ações se refletem em estoque, campanhas de marketing e provisionamento de compras. Tudo a partir da análise organizada de dados.

O Big Data é responsável por peneirar informações das mais diferentes fontes e apontar para o gestor o que o mercado está precisando em um determinado momento. Com informações mais claras do que o público está buscando, o comércio consegue se preparar com mais calma e estratégia para atendê-lo.

É possível rastrear, por exemplo, um atleta que esteja comprando um tênis, pesquisando modelos, preços, disponibilidade de estoque em sites específicos. Também uma mulher que está buscando um cosmético específico e poder sugerir outras opções de fórmulas e marcas em campanhas publicitárias que apareçam nas páginas em que está navegando no momento.

Com esses dados em mãos, é possível, por exemplo, fazer um controle de estoque eficiente, comprar menos ou mais de determinado produto, para diminuir o número de produtos parados em estoque e os custos de armazenamento. Também é possível direcionar campanhas de marketing virtuais a pessoas que realmente terão interesse na marca, acessando-as através dos dispositivos que mais costumam utilizar.

Na questão de marketing, poucas são as empresas que conseguem acompanhar o processo de navegação do cliente, considerando importante apenas o último clique que o fez chegar até o portal de compras. O produto pode ter sido exposto ao cliente em diferentes páginas da Internet antes dele decidir pela compra. Com o Big Data, é possível avaliar esse processo e saber quais as páginas que mais geram retorno para o negócio e, assim, receber maiores investimentos publicitários.

É como uma bala certeira de um atirador de elite. Estando a pessoa conectada a qualquer dispositivo pela Internet, é possível saber onde ela está, o que está pesquisando, o que pretende comprar e assim oferecer produtos, sugerir complementos e acessórios praticamente em tempo real. Não somente no mundo virtual, mas também na loja física é possível capturar informações para serem analisadas.

Existe um dispositivo que pode ser acoplado ao leitor óptico do caixa e que processa todos os dados de vendas dos clientes. A partir do armazenamento dessas informações, é possível saber quem compra na loja, qual o ticket médio, qual a forma que as campanhas de marketing e promoções dentro da loja o influenciam, entre outras informações.

Além de ajudar a traçar o perfil do cliente, colaborar na compra de novos produtos, ajudar no controle de estoque, a tecnologia se torna ainda mais eficiente quando sincronizada com a cadeia de suprimentos. O varejista consegue se programar melhor ao fazer suas encomendas, impedindo que itens se esgotem e vendas sejam perdidas.

Os mais antigos podem defender que a sensibilidade do vendedor é que irá converter as vendas, porém, é difícil não aceitar que hoje em dia que as possibilidades que o Big Data oferece são mais fáceis e eficientes na hora de gerar resultados. Depende agora da empresa investir na tecnologia e avaliar exatamente os dados que são coletados, utilizando-os ao seu favor.

 

New Call-to-action


Fontes:
http://www.information-management.com/blogs/big-data-analytics/the-importance-of-data-in-understanding-true-sales-performance-10027776-1.html
http://ecommercenews.com.br/artigos/cases/big-data-invade-o-e-commerce-do-estoque-ao-marketing

https://endeavor.org.br/big-data-qual-e-o-tamanho-e-quanto-ele-realmente-vale/ 

 

Categorias: Big Data, Business Intelligence, Análise de Dados, Data Mining, Mapeamento do Cliente