<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora

Diferenças e características dos bancos de dados

Publicado em 20/dez/2016 5:00:00

Com a demanda exponencial de dados geradas pelo Big Data, as tecnologias apropriadas exigem novas configurações.

Diferenças e características dos bancos de dados

Os bancos de dados são a base para a maioria das operações realizadas por meio de aplicações nas empresas, como os sistemas de CRM e ERP, por exemplo. Por isso,  mantê-los atualizados é de vital importância e representa um diferencial competitivo, uma vez que irá permitir que as informações armazenadas possam ser filtradas, analisadas e cruzadas com um objetivo específico.

 

No entanto, ainda se faz necessário diferenciar as principais características desse recurso, sobretudo quando o assunto é auxiliar as organizações em opções de tecnologias que sustentem os processos relacionados ao Big Data.

 

Basicamente, quando falamos das principais diferenças entre banco de dados, estamos falando sobre os sistemas de gerenciamento dessa ferramenta, os chamados Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados. A principal função desses sistemas, portanto, é permitir o gerenciamento e acesso às informações dos bancos de dados propriamente ditos.

Atualmente, os bancos de dados mais utilizados e disponíveis no mercado são os chamados “relacionais”, cujo armazenamento, por meio de tabelas compostas por linhas e colunas, permitem que posteriormente os dados sejam relacionados entre si. No entanto, com demanda exponencial de dados geradas pelo Big Data, as tecnologias apropriadas para armazenar, gerenciar e analisar grandes volumes de dados de diferentes formatos exigem novas configurações, como banco de dados NoSQL, desenhados para tratar imensos volumes de dados estruturados e não estruturados.

 

Abaixo, apresentamos uma lista com os bancos de dados mais difundidos no mercado, destacando suas principais características.

 

1- Oracle

O banco de dados da Oracle é caracterizado por ser um banco relacional robusto, seguro e com capacidade de gerenciar enormes quantidades de dados. Outra vantagem é sua versatilidade, uma vez que pode ser instalado em diversos sistemas operacionais, como Linux e Windows. A opção por essa solução deve considerar um hardware potente que possa permitir o desempenho adequado do software.

 

2- SQL Server

Bastante difundido no mercado e com bom desempenho, o SQL Server é o sistema de banco de dados da Microsoft. É também relacional, e entre seus principais atrativos está uma administração mais facilitada, quando comparado à mesma solução oferecida pela Oracle. A desvantagem era sua execução exclusiva em sistema operacional da Microsoft, o que limitava sua utilização. Recentemente a empresa lançou a versão  para o Linux.

 

New Call-to-action

 

3- MySQL

Adquirido pela Oracle, este é um SGDB que tem como características as licenças de software livre e comercial executado em diferentes plataformas, como Linux, Windows, Solaris, FreeBSD, MacOS, entre outros. O  MySQL é bastante usado no desenvolvimento de web sites em linguagem PHP e também servidores Apache.

 

 

4- PostgreSQL

Tendo como característica principal sua condição open source, o PostgrSQL também é um banco de dados relacional, que se assemelha em estrutura e linguagem com a opção da Oracle, embora não seja tão sofisticado nem exija hardwares tão poderosos para seu funcionamento. Muito usado para sistemas web, atende sistemas corporativos com bom desempenho e também está disponível para diversas plataformas operacionais, sendo o Linux a mais apropriada pela característica gratuita da ferramenta. A principal crítica negativa é a falta de uma interface administrativa.  

 

 

5- DB2

Trata-se do banco relacional da IBM, uma solução para grandes sistemas que, embora não esteja entre os mais comercializados, é bastante robusto com possibilidade de execução em diferentes sistemas operacionais. Ele é otimizado ao rodar com o hardware do próprio fabricante, o que pode ter impactado na sua disseminação.

 

6- NoSQL

Como adiantado acima, trata-se de um novo conceito, inaugurando um novo modelo de banco de dados não relacionais. A proposta desse novo conceito é justamente a possibilidade de trabalhar com grandes quantidades de dados. A característica principal desse banco é utilizar o melhor da linguagem SQL mas sem se prender totalmente à obrigatoriedade da integridade referencial (dados estruturados), o que o permite gerenciar com eficiência e rapidez suas crescentes bases de dados. O NoSQL é atualmente a escolha de corporações como Google e Facebook.

 

7- MongoDB

É também um banco de dados não relacional que utiliza o conceito de armazenamento de NoSQL. Trata-se de uma versão open source com perspectiva de ganhar bastante mercado em um futuro próximo.

 

Fontes:

 

https://www.opservices.com.br/principais-diferencas-entre-banco-de-dados/
http://computerworld.com.br/volume-variedade-velocidade-veracidade-e-valor-os-cinco-vs-do-big-data
http://db-engines.com/en/ranking
http://aprendaplsql.com/2016/03/os-5-bancos-de-dados-mais-utilizados-do-mercado/
https://www.opservices.com.br/gerenciamento-de-banco-de-dados/
http://www.devmedia.com.br/big-data-armazenamento-analise-e-gerenciamento/30918
http://www.rioinfo.com.br/2014/big-data-impulsiona-o-uso-de-bancos-de-dados-nosql/  

Categorias: Banco de Dados, Gerenciamento de Banco de Dados