<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI

Fog Computing: um novo paradigma para a IoT

Publicado em 25/ago/2017 5:00:00

Por ampliar a capacidade de armazenamento em Nuvem faz da Computação em Névoa se mostra um grande diferencial.

 

Fog Computing: um novo paradigma para a IoT

Tão dinâmico como o aparecimento de novas tecnologias, os novos métodos de armazenamento também evoluem diariamente. A cada dia surge uma nova expressão, uma nova forma de aplicação e manter dados, e a mais recente é a Computação em Névoa.

Vinda do inglês Fog Computing, o conceito não representa, exatamente uma novidade para profissionais inseridos no mercado de Nuvem, mas se coloca como um grande diferencial por começar a ser aplicada em parceria com o conceito de IoT.

Esse conceito vem recebendo muito atenção recentemente, pois os serviços de armazenamento em Nuvem estão se expandindo, mas não na velocidade que soluções oferecidas em Internet das Coisas vão exigir em um futuro muito próximo.

De acordo com o Business Insider, até 2021 prevê-se que quase 6 trilhões de dólares serão injetados no mercado global em soluções de IoT. Se este número realmente se concretizar, os sistemas atuais de Cloud Computing não serão capazes de lidar com toda a carga de dados, necessitando de complementos.

Já de acordo com o estudo Visual Networking Index, da Cisco, aplicações IoT representarão mais de 50% dos dispositivos e conexões globais até 2021. Outras pesquisas apontam que o tráfego virtual de dados deva crescer até quatro vezes em menos de cinco anos.

Ou seja, neste cenário, para ter os reais benefícios que a IoT propõe, é preciso estabelecer um processo que anteceda à Computação em Nuvem, que gerencie e analise o ambiente para poder armazenar o que realmente é necessário e interessante, dando respostas mais rápidas para determinadas questões. Neste momento é que a Fog Computing é acionada.

A Computação em Névoa tem a finalidade de ampliar a capacidade do computador e o armazenamento em Nuvem em toda a rede. É essencialmente uma camada intermediária entre a Nuvem e o hardware permitindo um processamento, análise e armazenamento de dados mais ágeis.
Cloud Computing: o futuro chegou ao mercado de TI
A infraestrutura permite que certos processos ou serviços de aplicativos sejam gerenciados na borda da rede por um dispositivo inteligente, reduzindo a quantidade de dados que precisam ser transportados para a Nuvem. A Fog Computing passa a ser uma nova extensão de virtualização de informações ou comandos para os profissionais que trabalham com Nuvem e IoT.

Na prática, a Computação em Névoa funciona para facilitar os acessos, por exemplo, um município que tem os sistemas de semáforos conectados pode detectar as luzes de emergência de uma ambulância e entender que o acesso precisa ser liberado. Ao invés de todo o processo ser feito via Nuvem, o que exigiria processamento de dados, passando por todo o sistema, passaria a ser feito por meio da Fog, executando os comandos quase que automaticamente, com mais agilidade por estar mais perto dos dispositivos onde os dados foram recolhidos.

Especialistas garantem que a Computação em Névoa pode ajudar a reduzir o custo fixo da solução em Nuvem por seguir os mesmos princípios, mas com um diferencial: está mais próxima do usuário, acelera o processamento e diminui o tráfego virtual. Só essa redução na transferência já pode significar uma boa alternativa em locais que não têm uma banda larga de alta capacidade.

Vale ressaltar que essa tecnologia de forma alguma vai excluir a Cloud Computing. Pelo contrário, a Fog será um complemento, dependendo dela para que processamentos de dados maiores, com agrupamento e análise de informações sejam executados.

Fontes:
http://cio.com.br/tecnologia/2017/01/23/fog-computing-e-o-novo-paradigma-para-a-internet-das-coisas-diz-cisco/

http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=45512&post_data=&sid=4

http://www.cisco.com/c/dam/en_us/solutions/trends/iot/docs/computing-overview.pdf

Categorias: Cloud Computing, IoT, Computação em Névoa, Fog Computing