<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI

Nuvem pública ou infraestrutura de TI híbrida: qual a opção mais estratégica para os negócios?

Publicado em 6/dez/2017 5:00:00

As empresas estão reconhecendo que a combinação de infraestrutura de TI híbrida oferece, atualmente, uma opção mais acertada.

 

Nuvem pública ou infraestrutura de TI híbrida: qual a opção mais estratégica para os negócios?

Cada vez mais focada na missão de atuar de forma estratégica, cabe à área de TI a indicação das soluções mais adequadas para garantir a sobrevivência dos negócios. Neste contexto, um dos assuntos mais recorrentes do setor atualmente é buscar a resposta para a seguinte pergunta: qual a opção de nuvem mais adequada para as empresas?

 

À medida que a nuvem pública e a privada continuam a crescer, as preocupações dos usuários passam a se focar em como é possível escolher entre os dois modelos a forma mais eficiente e adequada para alocar as cargas de trabalho de missão crítica das empresas.

 

Como resultado do maior acesso à informação e da dúvida entre os dois modelos, uma tendência observada pelos especialistas é que as empresas estão reconhecendo que a combinação de infraestrutura de TI híbrida oferece, atualmente, uma opção mais acertada.

 

Sabe-se que o modelo de nuvem híbrida, de acordo com a Gartner, foi considerado como melhor opção para atender às necessidades das organizações de todos os portes e segmentos, sendo a escolha de 50% dos empresários em todo o mundo até esse ano.

 

A nuvem pública, até então, é o modelo que apresenta maior adesão por parte das empresas. Neste modelo, os serviços são fornecidos em um ambiente virtualizado, acessível por meio da internet. Na prática, um provedor de serviços compartilha recursos, como aplicativos e armazenamento, com vários clientes. 

 

Os custos desse modelo são menores pois a empresa paga pela capacidade utilizada, uma vez que os servidores estão alocados em data centers externos. Esta opção está sendo cada vez mais utilizada como uma extensão do data center e se consolidando como mais uma ferramenta para o deslocamento da carga de trabalho. Soma-se a esse contexto a possibilidade de adotar conjuntamente tecnologias novas, como hiperconvergência e microsserviços. Uma das desvantagens do modelo é exatamente a relação aos riscos de segurança.

 

No caso da nuvem privada, o controle é totalmente interno. Os servidores estão alocados em data centers na própria organização, o que gera uma maior custo de implantação da infraestrutura de hardware. No entanto, o modelo permite trabalhar com um grande volume de demandas, com um tempo de resposta rápida, além de proporcionar uma proteção maior dos dados sensíveis, já que há controle direto sobre seus ambientes.

 New Call-to-action

Uma das críticas aos ambientes de nuvem pública é que eles não são adequados a todas as empresas sobretudo no que tange à questão de segurança, disponibilidade de aplicações e gestão. Por essa razão, as empresas podem optar por alocar parte de seus centros de dados numa nuvem privada, fazendo uma combinação dos dois modelos.

 

Em contrapartida, as nuvens privadas também apresentam algumas desvantagens, como o fato do departamento de TI interno ser o responsável por gerenciar a nuvem, impactando diretamente nos custos de implantação, despesas de pessoal, gestão e manutenção, situações presente no modelo tradicional de TI.

 

Com base em informações mais sólidas sobre os prós e contras de cada modelo, a infraestrutura de TI híbrida se apresenta como uma boa opção na atualidade. O modelo combina custos acessíveis e escalabilidade, atributos bastante desejáveis e presentes na nuvem pública, com o que há de melhor no modelo privado, como controle interno de dados e de informações sensíveis, além de garantir velocidade e maior dinamicidade nas operações. O modelo permite que a empresa possa armazenar dados locais e sigilosos em uma nuvem privada, e fazer a transferência deles entre as nuvens.

 

A nuvem híbrida seria, portanto, o modelo ideal para todas as empresas, pois permite que os recursos possam ser utilizados de forma local, para as atividades do dia a dia e, para as tarefas de maior complexidade, bastaria apenas alocar seus recursos em um servidor remoto.

 

A adoção do conceito híbrido ganha ainda mais destaque ao se considerar o aspecto financeiro da decisão, uma vez que permite que as empresas utilizem as vantagens de cada modelo de acordo com as suas necessidades.

 

Por isso, as organizações têm se dedicado a estudar riscos financeiros de cada modelo e optar pela combinação daqueles que consigam satisfazer a demanda por espaço, velocidade e desempenho, sem colocar em segundo plano a segurança ou o controle.

 

 

Fontes:

http://computerworld.com.br/nuvem-publica-ou-infraestrutura-de-ti-hibrida-qual-melhor-opcao

https://gaea.com.br/nuvem-hibrida-privada-ou-publica-qual-melhor-opcao-para-voce/

 

Categorias: Cloud Computing, Mercado de TI, Armazenamento, TI Híbrida, Infraestrutura de Nuvem, Computação em Nuvem