<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora

O preço dos serviços em Nuvem subirão em 2017?

Publicado em 7/fev/2017 5:00:00

Provedores trabalham com margem de lucro apertada e precisam aumentar o valor dos serviços.

O preço dos serviços em Nuvem subirão em 2017?

Pesquisa da Forrester aponta que o mercado global de Nuvem vai movimentar mais do que 146 milhões de dólares em 2017, contra 87 milhões em 2015. Os números refletem um crescimento anual composto com taxa de 22%, que se justifica primeiramente pelo maior número de empresas que contratam o serviço, e também pelo aumento das tabelas de preços dos serviços que serão oferecidos.

 

Entre as muitas tendências para a Computação em Nuvem neste ano, está o reajuste de valores. Com o mercado a cada ano mais maduro, a conscientização das empresas sobre os benefícios da Cloud Computing, os provedores já têm uma carteira de clientes montada e começam a estabilizar seus valores, diminuindo descontos e facilidades.

 

Em 2015, começaram a aparecer questionamentos sobre a estabilidade do mercado de Nuvem e quando seria engatilhado um reajuste de valores. O motivo foi o anúncio da Microsoft sobre o aumento de 13% dos preços de seus serviços na Europa, justificado especialmente pela flutuação cambial e a desvalorização do Euro por vários motivos.

 

Cloud Computing: o futuro chegou ao mercado de TI

 

Este ano, a Microsoft já sinalizou que os clientes empresariais do Reino Unido verão reajustes de 22% nos preços globais de tabela. De acordo com especialistas, a Salesforce, poderosa empresa de SaaS, apesar de ter receita anual de US$ 6,67 bilhões, ainda não retorna lucro aos acionistas e a única forma lógica de fazê-la é aumentando os preços em suas bases de clientes atuais. Outros provedores estão no mesmo barco, focando primeiramente na busca de consumidores para depois passar por reajustes de contratos.

O mercado, porém, é muito concorrido e as empresas fornecedoras desta tecnologia trabalham com margens de lucro reduzidas. Neste ponto, o aumento de preços é a única maneira de aumentar o fluxo de caixa.

 

Isso porque a demanda se mantém em crescimento sólido, com muito espaço ainda para ser explorado no mercado pelos provedores. Assim como aconteceu com os fabricantes de software, que aumentaram os valores das licenças corporativas depois de conquistada a fidelidade dos clientes, o mesmo tende a acontecer com os provedores de serviços na Nuvem.

 

Outra opção da equipe de venda tem sido a busca de maiores verbas a partir da venda de produtos com maior valor agregado, sendo oferecidos como opcionais para os acordos já existentes, como por exemplo, plataforma de gerenciamento de multi-nuvem.

 

Os benefícios da Computação em Nuvem são fortes fatores de convencimento. De acordo com pesquisa da consultoria IDC, por exemplo, 53% das empresas que utilizam Cloud esperam aumento de suas rendas ao longo dos próximos dois anos, uma vez que a tecnologia facilitou e simplificou o dia a dia da empresa, que ganha agilidade de resposta em estratégias e inovação.

 

Essa mesma pesquisa aponta que as empresas as quais aumentam a maturidade da utilização da Nuvem apresentam 10,4% de aumento de receita, 77% dos custos de TI, 99% de diminuição no tempo de prestação de serviços e aplicações de TI, 72% a mais de capacidade do departamento de TI em atender ao nível de serviço, além de terem capacidade duplicada de investimento em novos projetos para impulsionar a inovação.  

 

Resumindo, o mercado está crescendo e ao mesmo tempo maduro para reconhecer que os benefícios da Nuvem geram retorno positivo para as empresas. Mesmo que sejam muitos os concorrentes, é possível reajustar os preços, ainda os deixando competitivos, que o mercado não vai deixar de contratar os serviços. A diferença em 2017 é que a busca por orçamentos mais baratos ou negociações por descontos vai tomar um pouco mais de tempo.  

 

Fontes:

http://www.informationweek.com/cloud/will-cloud-service-prices-go-up-in-2017/a/d-id/1327794?

http://computerworldmexico.com.mx/seis-tendencias-conformaran-la-nube-2017/

http://computerworld.com.br/2017-o-ano-da-nuvem

 

Categorias: Cloud Computing