<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Transformação Digital e oportunidades para revendas de TI na educação
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI

Quais são benefícios do NFV para as redes virtualizadas?

Publicado em 21/set/2017 5:00:00

Conheça esse conceito de arquitetura de rede virtualizada e saiba como ele pode ser oferecido para otimizar os processos de seus clientes.

 

QUAIS SÃO BENEFÍCIOS DO NFV PARA AS REDES VIRTUALIZADAS?

 

Conceito de arquitetura de rede aplicado aos processos de virtualização de TI, a NFV, do inglês Network Functions Virtualization ou Virtualização das Funções da Rede, surge como resposta a necessidade de acelerar os processos de implementação de novos serviços de rede.

 

Aparelhos baseados em hardware ofereciam diversas restrições no momento de aplicar novas tecnologias, principalmente aquelas relacionadas aos processos de virtualização, de forma que a NFV se desenvolve como uma forma de garantir maior agilidade e flexibilidade. Ela pode ser aplicada a diferentes funções dos nós da rede, criando diversas conexões que possibilitam o estabelecimento de uma comunicação mais eficiente.

 

Assim, essa tecnologia permite o desenvolvimento de projetos, implementações e novos modelos de administração de serviços de rede. Para isso, ela separa suas funções, diferenciando NAT, Firewall, DNS, cache, detecção de intrusão e demais elementos de rede do dispositivo proprietário de hardware, tornando possível sua execução por meio de um software. Em termos mais simples, busca a substituição de dispositivos de hardware dedicados e com alto custo por dispositivos de software executados em máquinas virtuais.

 

A rede depende de uma série de componentes para que consiga suportar uma infraestrutura virtualizada, entre eles servidores virtuais, armazenamento e, em alguns casos, outras redes. A NFV, por meio das tecnologias padrão de TI permite que este suporte seja oferecido de maneira consolidada e segura.

 

 

Ela recorre, mais especificamente, a servidores de alta capacidade, comutadores (switches) e hardware de armazenamento, transportando as funções de rede para esse novo ambiente digital. Um dos principais diferenciais dessa arquitetura é o fato de ser aplicável a qualquer plano de dados de processamento ou função de plano de controle, independente de serem redes com fio ou wireless.

 

Assim, podemos entender NFV como sendo uma ou mais máquinas virtuais responsáveis por executar variados processos e programas, substituindo os dispositivos de rede especializados e permitindo que as infraestruturas sejam construídas por meio de computação em Nuvem.

Panorama da Cibersegurança Global: como proteger as redes corporativas de ameaças virtuais?

Os principais benefícios a serem apontados para os clientes são:

 

  • Redução do uso de recursos com equipamentos e com consumo de energia;
  • Aumento da independência de hardwares proprietários para provisionamento de serviços;
  • Maior agilidade na implementação de novos serviços de rede;
  • Aumento da escalabilidade de serviços;
  • Disponibilidade para executar vários aplicativos em um único dispositivo de rede;
  • Menor complexidade para a instalação;
  • Menor uso de espaços físicos e de pessoal especializado;
  • Facilidade de desenvolvimento, integração e operação de equipamentos;
  • Redução da complexidade de lançamento de novos serviços;
  • Aumento do ciclo de vida dos equipamentos;
  • Estruturação de um ecossistema mais dinâmico;
  • Maior capacidade de acompanhar avanços tecnológicos.

 

Vemos, então, que a vantagem de uma virtualização de funções de rede está na possibilidade de instalação em data centers ou PoPs (Points of Presence), sendo necessário se preocupar apenas com o desenvolvimento dos serviços por software, de forma que o conjunto de funções pode ser realocado em diferentes lugares da rede sem a necessidade de instalar novos hardwares, o que garante a flexibilidade.

 

Entre as aplicações das tecnologias NFV destaca-se a possibilidade de aplicação nos CPEs (Customer Premises Equipment). Por meio dela é possível, caso seja necessário, adicionar, remover ou atualizar funções do CPE sem a necessidade de atender cada cliente individualmente, reduzindo custos do serviços.

 

Isso porque, com a complementação oferecida pela NFV as funções são transferidas do provedor do serviço a todos os CPEs, de forma que cada uma dessas etapas de configuração de funções é feita automaticamente a partir do momento que são alteradas no sistema do provedor do serviço.

 

Desta forma, oferecer serviços de arquitetura de rede que inseridas no conceito NFV significam aumentar a produtividade de seus clientes, reduzindo gastos e oferecendo maior flexibilidade para os processos.

 

 

Fontes:

https://faqinformatica.com/o-que-e-nfv/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Network_Functions_Virtualization

https://www.gta.ufrj.br/ensino/eel879/trabalhos_vf_2015_2/NFV/conceitos.html

Categorias: Redes, Virtualização