<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

3 novas regras para alinhar TI e negócios com sucesso

Entrar em sincronia com os objetivos organizacionais nunca foi tão necessário para o sucesso de um negócio.

A evolução tecnológica é exponencial, recursos digitais e soluções inteligentes são desenvolvidas a todo momento mudando a maneira como a sociedade lida com a tecnologia.

No cenário corporativo não é diferente, essa transformação digital estimula adaptações e atualizações tecnológicas incessantemente e aumenta a dependência das empresas por elas. Com isso, o papel dos CIOs se torna cada vez mais complexo e essencial para o sucesso do negócio.

Muito mais do que dominar todas as tecnologias disponíveis no mercado, o líder de TI deve alinhar a oferta e a procura. Ou seja, adotar, estrategicamente, soluções tecnológicas que atendam a real demanda e necessidade da empresa, tornando essa digitalização um investimento.

Contudo, esse processo já não é mais feito da mesma forma que no passado. Agora, na era digital, novas regras para alinhar TI e negócios com sucesso estão valendo. Acompanhe o poste e conheça as principais.

Quais as novas regras para alinhar TI e negócios com sucesso?

Conheça a seguir as 3 novas regras para alinhar TI e negócios com sucesso na era digital.

1) Equilibrar manutenção e inovação

A primeira regra é equilibrar as atividades de manutenção e inovação. Ou seja, o CIO deverá decidir se desempenhará o papel tradicional de um TI, mantendo o ERP e a grande plataforma de dados sob controle, ou o de um facilitador digital, buscando conhecer e empregar novas tecnologias.

Se os dois segmentos ficarem sob a responsabilidade de um único profissional, certamente a demanda não será atendida com qualidade. Portanto, uma das atuações deverá ser delegada a outro especialista. 

Webex for free

Como ambas atuações são essenciais para a sustentação operacional e comercial do negócio, empregar estratégias que assegurem sua atuação eficiente é essencial.

Além disso, muitas empresas, principalmente as que não equilibram a manutenção e a inovação, acabam cometendo o erro de adotar tecnologias sem critérios ou conhecimento técnico suficiente. 

E desta forma, desperdiçam recursos financeiros, retardam a transformação digital do negócio, enfraquecem a reputação do segmento e não estruturam operação evolutivas.

2) O TI ainda é responsável pela eficiência tecnológica

Embora o TI não controle mais o emprego de todas as tecnologias de uma empresa, ele ainda é o responsável pela garantia de eficiência. 

Ou seja, o departamento pode supervisionar operações tecnológicas, desde o momento da aquisição a manutenção técnica, para garantir que nada dê errado e comprometa a saúde da organização.

A transformação digital é um fenômeno que deve ocorrer em todos os setores para otimizar a funcionalidade geral do negócio, e o TI pode não só ajudar a estruturar essas inteligências, como também aconselhar a escolha das ferramentas. 

E assim, potencializar o valor do investimento em tecnologia e ressaltar a relevância do seu papel da gestão estratégica da empresa.

3) A TI deve se comprometer com o sucesso da organização

A terceira regra para alinhar TI e negócios com sucesso é o compromisso do setor com os resultados gerais do negócio. Esta regra pode parecer óbvia e que já está sendo praticada, mas para muitas organizações não é um valor compartilhado.

Muitos CIOs acreditam que estejam comprometidos com o sucesso de seus clientes, e por clientes, entende-se o próximo setor na linha de produção interna da empresa, que usufrui diretamente dos produtos e serviços da TI. 

Ou seja, eles trabalham como um fast-food de tecnologia, entregando somente aquilo que lhes são solicitados sem considerar o cenário macro desse pedido. Por isso, o compromisso do departamento com o sucesso geral do negócio se tornou uma regra.

Além de avaliar a funcionalidade e satisfação dos seus clientes diretos, o TI deve se atentar aos clientes indiretos e até os externos da organização. Em outras palavras, eles devem se comprometer com os objetivos da empresa. Assegurando desta forma, que ela empregue os melhores recursos tecnológicos disponíveis no mercado para fortalecer a sua oferta de serviços e produtos com excelência competitiva.

Com essas três regras, os líderes de TI poderão alinhar a sua atuação com os objetivos do negócio com qualidade e fortalecer a sua importância para o desenvolvimento do negócio. Muito mais do que ser um setor de oferta de insumos, departamento de TI pode ser um setor de inteligência estratégica.

 

Posts relacionados

Como a TI pode ajudar na produtividade do Home Office?

Por meio das soluções tecnológicas certas, as empresas podem manter a eficiência e agilidade em seus processos mesmo trabalhando de forma remota.

Como a TI deverá se posicionar diante do mercado pós-pandemia?

Organizações que souberem administrar as mudança impostas, acelerando a transformação digital estarão mais preparadas para o mundo pós-COVID 19.

6 dicas para desenvolver uma estratégia digital para TI durante a crise

A pandemia do novo coronavírus acelera “na marra” a transformação digital de organizações em todo mundo, a adaptação é indispensável.

Escreva seu comentário