<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

4 passos para adaptar o plano de Disaster Recovery para Nuvem

Publicado em 15/mai/2019 5:00:00

Ter um plano de recuperação no ambiente virtual é fundamental para a segurança dos dados corporativos. 

 

4 passos para adaptar o plano de Disaster Recovery para Nuvem

 

Códigos mal-intencionados, hackers, desastres naturais, erros de funcionários. Enfim, diversos são as ameaças que podem atingir os dados corporativos.

Nesse cenário de constantes ameaças de ataques e perda de dados, as empresas precisam garantir que os serviços de TI estejam funcionando corretamente sem interrupções.

Por isso é crucial desenvolver um plano de Disaster Recovery (Recuperação de Desastres) efetivo, capaz de manter os serviços em funcionamento mesmo em casos de erros acontecerem.

Mas, em um contexto em que as empresas estão cada dia mais dependentes do armazenamento em Nuvem, apenas ter um plano de Recuperação de desastres físico não é suficiente. É necessário colocá-lo na Cloud.

A computação em Nuvem é uma alternativa muito eficiente para as práticas convencionais de TI e se encaixa muito bem nas necessidades de Disaster Recovery.

Portanto, vale a pena apostar na Nuvem para essa missão. Confira a seguir como adaptar o plano de Disaster Recovery de seus clientes para a Cloud Computing.


O que é Disaster Recovery na Nuvem?


As soluções de armazenamento na Nuvem permitem que as empresas realizem cópias de segurança e restaurem seus arquivos caso eles sejam comprometidos de forma prática e rápida.

Graças a flexibilidade e mobilidade do ambiente virtual, as empresas são capazes de realizar a recuperação eficiente de desastres, independente do tipo ou intensidade de suas cargas de trabalho.

Isso porque todos os seus dados ficam armazenados em ambientes seguros na Nuvem de um fornecedor, os quais são arquitetados para fornecer alta disponibilidade.

Dessa forma, ao apostar no Disaster Recovery na Nuvem, as empresas conseguem realizar a recuperação rápida de seus sistemas críticos de TI após um desastre, sem a necessidade de ter investido em infraestruturas físicas.

 

Baixar agora

 

4 passos para adaptar o plano de Recuperação de Desastre para a Nuvem


Agora que você já viu os benefícios da Recuperação de Desastres em Cloud Computing, é necessário saber como adaptar o plano da empresa para a Nuvem. Confira a seguir algumas práticas recomendadas:

 

1. Faça backup e replique regularmente os sistemas e dados

 

Para se proteger contra interrupções na nuvem é preciso manter um backup seguro dos sistemas e dados externos. Portanto, a empresa deve criar uma rotina de backup para garantir que todos os dados críticos estarão replicados na Nuvem.

 

2. Determine uma ordem de importância de restauração

Quando estão na Nuvem, os aplicativos e dados corporativos podem passar de uma Cloud para a outra com facilidade. Portanto, ao adaptar o plano de Disaster Recovery para o ambiente virtual, é importante definir quais sistemas precisam ser restaurados primeiro.

Além da ordem de restauração, a empresa deve saber onde os diferentes sistemas e dados operam e são armazenados. Desse modo, caso um desastre aconteça, a empresa saberá onde buscar seus recursos.


3. Faça testes regularmente

Mesmo que os sistemas e dados na Nuvem não sejam inalterados, há sempre riscos de que pequenas alterações aconteçam nas plataformas na Nuvem dos fornecedores do serviço, o que pode afetar o desempenho dos sistemas corporativos.

Para evitar que isso aconteça, é crucial que seus clientes realizem testes periódicos no plano de Recuperação de Desastres.


4. Gerencie a relação com o fornecedor da Nuvem

Muitas empresas ainda não sabem bem como gerenciar o contrato e SLAs fechados com o fornecedor da Nuvem. Isso pode prejudicar o plano de Disaster Recovery da empresa.

Por isso, é preciso desenvolver um relacionamento de trabalho mais próximo com os fornecedores, para que ambas as partes cooperem e possam responder rapidamente aos problemas que surgirem.

Quando os sistemas corporativos ficam indisponíveis podem causar grandes prejuízos para as organizações, por isso, contar com um plano de Disaster Recovery na Nuvem é essencial. Ao investir em uma recuperação na Nuvem, a empresa passa a ter maior segurança em seus processos internos e a contar com o melhor custo-benefício.

Categorias: Cloud Computing, Segurança