<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki

5 coisas que todo CFO deve saber sobre investimentos de longo prazo em TI

Publicado em 14/jul/2017 5:00:00

Ciclo de vida das tecnologias está mais curto e os orçamentos devem incluir atualizações e novos recursos.

5 coisas que todo CFO deve saber sobre investimentos de longo prazo em TI

As novas tecnologias têm impacto muito positivo nos negócios, mas é preciso entender suas funções antes de investir na aquisição de uma nova ferramenta. É papel do Diretor Financeiro (CFO – Chief Financial Officer) garantir que cada centavo gasto pela companhia esteja alinhado com as estratégias e objetivos da organização.

 

Por isso, algumas das principais informações que o CFO precisa ter antes de decidir por uma aquisição tecnológica são o que vai mudar na empresa, qual é realmente a necessidade do novo produto ou serviço, qual vai ser o impacto para os negócios, o que será possível fazer com esta nova tecnologia, se vai servir para reduzir custos, melhorar a experiência do cliente ou diminuir os prazos de entrega, por exemplo.

 

As respostas devem partir dos especialistas de TI internos, que vão atuar como os primeiros consultores do CFO. Entretanto, é preciso um momento prévio de alinhamento de conhecimento e expectativas, por ambos os lados, sendo que há coisas que o Diretor Financeiro deve saber sobre investimento de longo prazo em TI.

 

Algumas delas são:

 

1- Conhecer os conceitos tecnológicos

Saber sobre o básico é fundamental, mas também é preciso se aprofundar nas tecnologias mais recentes, buscando informações sobre seus ciclos de vida, as possíveis mudanças que poderão surgir no futuro e que exigirão novos investimentos.

 

Também é possível parear as tecnologias que a empresa já dispõe com as novas que serão adquiridas, para que os CFOs saibam exatamente as necessidades de investimentos.

 

14 dicas de marketing para revendas de TI

 

2- Considerar o ciclo de vida de uma tecnologia

Outro ponto que devem saber é que as tecnologias estão em constante mudança, em uma velocidade bastante alta e que dentro de um orçamento, devem ser consideradas atualizações de sistemas. O Windows 10, por exemplo, agora é SaaS, o que significa que as empresas usuárias deverão fazer uma migração de versão a cada 14 a 16 meses, contra 36 a 48 meses de versões anteriores.

 

3- Garantir a redução das interrupções do negócio

Com mais mudanças, haverá mais testes e consequentemente mais chances de interrupções nos sistemas das empresas. Para garantir que as migrações de plataformas e sistemas não atrapalhem a fluidez do trabalho, os investimentos deverão ser maiores no primeiro momento, contratando tecnologias que terão mudanças em um período mais longo.

 

4- Saber se as cargas de trabalho estão dentro da capacidade das organizações

É um assunto que precisa ser discutido incansavelmente, uma vez que quanto mais certeiro o investimento, menores as chances de um novo desembolso. O melhor é contratar uma capacidade que dê lastro para as cargas de trabalho e posteriormente fazer ajustes necessários nos investimentos. O CFO deve saber se no negócio existe algum tipo de sazonalidade que vai exigir mais do sistema em determinado momento em detrimento de outro, para que possa organizar seus cronogramas.   

 

5- Liderar uma mudança organizacional

Ao lidar com orçamento em TI de longo prazo, o Diretor Financeiro terá que considerar em sua planilha, além das ferramentas que serão adquiridas, todos os custos envolvidos com os recursos que serão utilizados: quantidade de pessoas, energia elétrica, espaço físico para novos equipamentos, se necessário, entre outros pontos.

 

Como a dependência das empresas cresce a cada dia com relação às ferramentas tecnológicas, os CFOs já estão sendo desafiados a tomarem decisões estratégicas também relacionadas à TI. Com conhecimento e ajuda dos CIOs e suas equipes, os CFOs serão capazes de decidirem de forma inteligente sobre o melhor para o negócio, tanto em questões financeiras, quanto de otimização das ferramentas de trabalho.  

 

Fontes:

https://blog.juriba.com/5-things-every-cfo-must-know-about-long-term-it-investments

http://www.knowledgeatwharton.com.br/article/o-imperativo-cfo-tecnologia-da-proxima-geracao-leva-otimizacao-custo/

 

Categorias: Revendas