<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki

5 dicas de como aumentar a segurança na comunicação corporativa

Publicado em 19/jan/2018 5:00:00

Saiba como proteger as informações dentro das empresas.

 

5 dicas de como aumentar a segurança na comunicação corporativa

Informações são um dos principais trunfos da competitividade empresarial na atualidade, devendo ser protegidas em todos os processos das organizações. A comunicação interna, geralmente, é uma área pouco observada do ponto de vista da segurança da informação, que costuma se preocupar mais com ataques externos.

 

No entanto, é na comunicação interna que os ativos mais importantes são gerados, registrados, armazenados e transferidos, o que destaca a necessidade de protegê-los. O vazamento desses dados pode ser um grande problema para projetos, sendo necessário lembrar que eles não ocorrem apenas por falhas tecnológicas, mas também pelas humanas.

 

Quer saber como proteger os dados empresariais durante a troca de informações? Confira a seguir, 5 dicas de como garantir a segurança da comunicação interna de um negócio.

 

1. Toda empresa deve ter protocolos de segurança

 

A segurança das informações que circulam internamente na corporação dependem de regras que definam como serão geradas, registradas, armazenadas e recuperadas, se necessário. É preciso, também, determinar procedimentos de como reagir caso ocorra um vazamento de dados confidenciais.

 

Para evitar esses vazamentos é essencial instalar ferramentas de defesa como firewalls, criptografia de dados e antivírus, sempre mantendo eles e o sistema operacional atualizados. Realizar testes frequentes também é importante, permitindo a identificação de vulnerabilidades e sua correção.

 

2. Equipamentos da empresa devem permanecer no local de trabalho

 

Notebooks, tablets, HDs externos e demais equipamentos corporativos costumam conter diversos relatórios e dados referentes ao negócio que, caso sejam acessados por outras pessoas, podem causar grandes danos à organização.

 

Quando um colaborador leva um desses equipamentos para casa ele coloca essas informações em risco, uma vez que é mais fácil roubar equipamentos de uma residência do que de uma empresa, que possui sistemas de segurança.

 

3. Senhas são pessoais, intransferíveis e não devem ser emprestadas

 

Os códigos de acesso dos colaboradores, para que apenas pessoal autorizado tenha acesso aos dados, oferecem à gerência formas de obter relatórios de usuário para controle da comunicação interna. Portanto, devem existir políticas de segurança específicas para esses logins e senhas, oferecendo aos funcionários a importância de proteger esses dados e de não repassá-los nem mesmo a colegas de trabalho.

 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios

4. Estabelecer níveis de acesso aumenta a segurança e produtividade

 

Nem todos os dados da empresa devem estar disponíveis para qualquer colaborador. Muitos são confidenciais e restritos ao setor administrativo, outros ao financeiro.

 

Liberar acesso, por meio do estabelecimento de grupos, apenas ao conteúdo necessário para que as atividades possam ser realizadas reduz a possibilidade de vazamento de dados, além de aumentar a qualidade do trabalho por não sobrecarregar os colaboradores com informações inúteis.

 

5. A segurança depende da colaboração

 

Proteger uma organização depende profundamente da participação e colaboração dos funcionários, que devem estar cientes dos riscos e formas de prevenção, além dos impactos que o vazamento de informações geram.

 

 

Atenção! Um dos principais problemas para a comunicação interna é a manifestação indevida de informações. Dados de valor estratégico não devem ser divulgados para o público externo, de forma que o desenvolvimento de cartilhas e manuais de conduta esclarecendo as políticas de privacidade e treinamentos focados em preparar porta-vozes da organização para entrevistas e eventos sociais são posturas indispensáveis.

 

A proteção na comunicação interna das corporações é tão ou mais importante que os demais alvos de segurança. A empresa deve investir nela e na preparação de todo o público interno para seguir os direcionamentos e conseguir, assim, proteger os dados corporativos.

 

Quanto mais importantes as informações, do ponto de vista técnico, estratégico e operacional, mais protegidas e restritas elas devem ser, garantindo as vantagens competitivas que o negócio precisa.

 

As novas e atualizadas ferramentas de proteção que a tecnologia da informação oferece, garantem que os colaboradores se mantenham informados sobre riscos. Isso é essencial para que eles adotem uma postura correta e se previnam contra o vazamento de dados.

 

O destaque são as ferramentas de videoconferência, que além de criptografia de mensagens e a possibilidade de reuniões para alinhamento mesmo com os envolvidos em localidades diferentes, ainda conta com diversas formas de compartilhamento de arquivos por meio da computação em nuvem e de desktop remoto, eliminando a necessidade de tirar equipamentos de dentro da empresa para acessar documentos e informações.

 

Conscientizar empresas sobre a importância da comunicação interna e de suas informações é uma tarefa que exige constante atenção, reciclagem e as ferramentas certas para evitar surpresas.

 

 

Fontes:

http://www.starti.com.br/blog/como-manter-seguranca-na-comunicacao-empresarial/

https://endomarketing.tv/seguranca-informacao-comunicacao-interna/

 

Categorias: Comunicação Corporativa