<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

5 estratégias de mitigação de risco para a nuvem

Publicado em 6/mai/2019 5:00:00

Computação em Nuvem exige esforços por parte da equipe de TI. Um dos principais é diminuir ameaças.

 

5 estratégias de mitigação de risco para a nuvem

 

A Computação em Nuvem é hoje uma das principais tecnologias que dão suporte à Transformação Digital. É onde tudo acontece no que tange às questões de inovação não somente em TI, mas também na gestão dos negócios. É o ambiente flexível, expansível onde tudo se conecta.


Porém, para que a tecnologia possa oferecer todos os benefícios que são amplamente divulgados, precisa ser bem planejada, ter fornecedores e provedores competentes, assim como uma equipe capaz de monitorar a plataforma para que funcione corretamente, colaborando para as metas da empresa.


Já discutimos aqui no nosso canal as melhores práticas de migração de dados pra Nuvem assim como os erros mais comuns na migração da carga de trabalho para Nuvem. Hoje vamos abordar formas de diminuir os impactos na gestão do negócio e algumas estratégias para mitigar os riscos:


1 – Avaliar quais os riscos que a empresa está disposta a correr na Nuvem: dependendo da resposta será possível prever quais as ações que devem ser colocadas em ação para aumentar ou diminuir a segurança da carga de trabalho armazenada em Nuvem.


É possível, por exemplo, configurar uma abordagem em camadas para mitigação de riscos para aproveitar ao máximo seus recursos limitados ou mesmo promover um treinamento com equipe que acessa a Nuvem para diminuir os riscos de invasão.

 

Baixar agora


2 - Avaliar a cultura do uso de Nuvem: sempre discutimos aqui que não são todos os dados que podem ser migrados para a Nuvem. Primeiro por uma questão de custo, aproveitando a flexibilidade para armazenar realmente o que importa e pagar somente por aquela banda, mas também por questões de riscos de vazamento de informações importantes.


Se qualquer colaborador tem permissão para carregar arquivos estratégicos na Nuvem, eles podem ser facilmente baixados em outras máquinas em qualquer parte do mundo por outra pessoa que tenha permissão. Por isso é importante avaliar como as pessoas utilizam essa tecnologia e, se necessário, discutir métodos mais efetivos.


3 – Modelo de confiança zero: exigir que todos as pessoas, sistemas ou dispositivos, dentro ou fora do perímetro, sejam verificados e validados antes de se conectarem a seus sistemas é o ideal para diminuir os riscos na Nuvem.

 

4 – Estudo de casos como exemplo: o que está sendo dito nos noticiários sobre invasões em Nuvens, erros e ataques? Talvez essas informações podem ser importantes para uma empresa, que pode avaliar seus procedimentos e realizar ajustes. É interessante incentivar a equipe de TI a participar de fóruns de debates online com pessoas do mesmo ramo de atuação e grau de conhecimento semelhante para troca de informações mais específicas.


5 – Estratégia de gerenciamento manual x automatizadas: é possível realizar o gerenciamento da Nuvem totalmente de forma manual, assim como totalmente automatizada, mas também de forma combinada.


O ideal é fazer uma avaliação geral dos principais pontos de atenção e quais deles exigem uma análise humana ao invés de robotizada e quais as repetitivas que podem ser feitas de forma automática, mas que não vão trazer prejuízo ao gerenciamento.


Realmente, migrar a carga de trabalho para Nuvem exige estudo prévio, análises dos investimentos, das demandas internas, necessidades do negócio, planos de ação, equipe capacitada para que a tecnologia seja efetiva em sua função e também estratégias de mitigação, para diminuir cada vez mais os riscos de perdas com Nuvem.

Categorias: Cloud Computing