<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

5 formas dos CIOs lidarem com iniciativas de Inteligência Artificial

Publicado em 26/fev/2019 5:00:00

A chegada de novas ferramentas tecnológicas em uma empresa exige novos comportamentos dos líderes.

 

5 formas dos CIOs lidarem com iniciativas de Inteligência Artificial

 

Empresas que há algum tempo tem investindo em tecnologias para estarem na Transformação Digital já estão ansiosas para os resultados reais que as ferramentas prometem.


No ano de 2019 as equipes de TI e os CIOs serão cobrados por essas respostas. Tecnologias que não trouxeram os resultados esperados serão descartadas, enquanto que as de melhor aproveitamento receberão melhores investimentos.


O futuro da Inteligência Artificial prevê muitas transformações e o ano de 2019 prevê uma concretização de muitos esforços que foram realizados ao longo de uma jornada. E é papel do CIO capitanear todas as iniciativas que tangem AI, assim como acompanhar todos os seus processos.


Para saberem como gerenciar corretamente a AI, os CIOs precisam considerar que:


1 – Inteligência Artificial não resolve todos os problemas: as tecnologias trazem muitas possibilidades para os negócios, que podem aproveitar os benefícios das ferramentas para customizarem ações de acordo com as suas prioridades. Porém, muitas dessas ferramentas são incluídas dentro de um processo antigo, dificultando que todas as suas funcionalidades sejam utilizadas com total potencial.

 

Baixar e-book grátis


A inclusão de um chatbot para o atendimento por telefone de cliente, por exemplo, responde a perguntas frequentes, com respostas previamente programadas e não incluem exceções até que novas frequências de perguntas vão surgindo durante os atendimentos.


O que significa que a ferramenta de AI neste caso é solução para uma parte de um problema. O CIO deve ter essa compreensão e saber relacionar novas ações ou tecnologias que irão atender as necessidades 100%.


2 – Trabalho alinhado com o departamento de RH: a demanda por mão-de-obra capacitada para criar processos de AI é muito alta e a oferta de profissionais é baixa.


Cabe ao CIO se unir com o RH da empresa para buscar internamente profissionais tanto de TI quanto com perfis comerciais que possam ser capacitados para as novas funções que estão surgindo.


Especialistas acreditam que a geração de cientistas de dados e arquitetos de soluções que saberão melhor trabalhar AI são pessoas com cerca de 40 anos de idade até que a força de trabalho mais jovem consiga acompanhar os mais experientes, adquirindo conhecimentos básicos.


3 – Pensamento comercial: além de parte técnica, o CIO deve aprender a lidar com a parte comercial que envolvem as soluções de Inteligência Artificial. Saber programar, corrigir, aplicar é necessário, mas como transformar as soluções em lucro, em produto ou serviço que pode ser vendido é a grande questão para este ano.


4 – CIOs devem liderar conversas sobre cognição: o Relatório de Tendências de Tecnologia do Future Today Institute aposta que a evolução da AI parta para a cognição, em que os sistemas passam a agir com base em aprendizado e raciocínio, fazendo deduções por conta própria a partir de dados que alimentam as máquinas e programações de padrões.


Além do uso do Machine Learning, em que as máquinas aprendem, com a cognição, elas passam a pensar também e tirar as próprias conclusões com os dados de referências que tem em seus bancos.


A responsabilidade por levar essas novidades para a empresa e como aplicá-las ao negócio deve ser do CIO.


5 – Puxar discussões sobre ética: os CIOs precisam ser cuidadosos com o que planejam fazer com a AI antes de começar a programar qualquer ferramenta. Além disso, questões de ética devem ser fortemente discutidas, uma vez que a manipulação de dados para programar máquinas pode ser estranhamente maléfico, se feito de forma errada.


Como garantir, por exemplo, que máquinas não exponham ou tirem proveito de dados fornecidos? A programação parte do ser humano, por isso que o alinhamento deve ser constante.


Em resumo, o CIO deve ser um líder participativo de todo o processo. Que vai ajudar na escolha das ferramentas, na forma como será utilizada e programada, nas pessoas que serão capacitadas e nas discussões que envolvem a nova tecnologia.

Categorias: Inteligência Artificial