<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

6 ações para acelerar a adequação à LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados está próxima de entrar em vigor e aquelas organizações que não estiverem preparadas poderão sofrer penalidades gravíssimas.

 

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) está prestes a ser uma realidade no Brasil e, por isso, muitas empresas estão na corrida para entrar em conformidade e garantir que todos os seus processos sejam adequados à nova norma.

Inspirada na lei europeia GDPR, a norma brasileira estabelece regras claras sobre como as empresas devem passar a utilizar os dados pessoais de seus clientes. Para se adaptar, as organizações precisarão ter um controle maior sobre o processamento de informações pessoais dos usuários.

Além disso, alguns cuidados deverão ser tomados, como:

  • Ter maior conhecimento dos dados;
  • Gerenciar as informações;
  • Implementar medidas efetivas de segurança;
  • Documentar os dados coletados;
  • Atualizar-se constantemente.

Caso uma empresa viole a LGPD, poderá sofrer penalidades gravíssimas, com multas que chegam até a 2% de seu faturamento. Portanto é fundamental estar preparado para quando essa lei entrar em vigor.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo com 6 ações que toda empresa pode colocar em prática para acelerar sua adequação à Lei Geral de Proteção de Dados. Acompanhe!

6 ações para acelerar a adequação à LGPD

Para evitar penalidades e entrar em conformidade com a nova norma brasileira o mais rápido possível, as empresas podem colocar em prática algumas ações para acelerar o processo de adequação. Confira a seguir quais são eles:

1. Investir em tecnologia

Assim que a lei entrar em vigor, as empresas precisarão ter um maior controle sobre os dados pessoais de seus clientes, funcionários e parceiros. Portanto será preciso documentar e relatar a localização de cada informação, além de registrar de que forma eles foram coletados e como estão sendo armazenados.

Para que isso seja possível, será necessário contar com soluções tecnológicas de monitoramento. Por meio das ferramentas corretas, é possível controlar todas as informações e acesso realizado. Desse modo, a empresa conseguirá definir níveis de acesso e impedir que usuários não autorizados consigam visualizar os dados.

Saiba mais

2. Adotar processo de governança

A governança de TI é um conjunto de normas, diretrizes e leis estipuladas por uma empresa para minimizar riscos. Ela é capaz de promover a segurança de todos os dados que trafegam os sistemas corporativos e busca alinhar todos os setores para seguirem as melhores práticas e alcançar melhores resultados.

Por meio da governança, a empresa consegue centralizar e gerenciar todos os acessos aos dados. Desse modo, é possível garantir a conformidade com a LGPD, sem atrapalhar a produtividade de sua equipe.

3. Contratar uma especialista

Adequar toda a organização para seguir a LGPD não é uma tarefa fácil. Portanto terceirizar o serviço pode ser uma excelente opção. Para isso, busque um parceiro de confiança no mercado.

As organizações especializadas são capazes de oferecer profissionais altamente qualificados que poderão elevar o nível de maturidade de seu negócio sobre o novo regulamento.

4. Realizar treinamentos com a equipe

Para que a corporação esteja realmente em conformidade com a LGPD é preciso garantir que todos os colaboradores sigam as suas normas corretamente. Por isso, sua organização deve investir em treinamentos.

Promova treinamentos periódicos e realize testes para garantir que todos tenham conhecimentos das melhores práticas.

5. Montar um time de fiscalização

Além de todas as ações anteriores, é preciso que todos os processos e ações sejam monitorados para garantir que todos os colaboradores estão seguindo corretamente todas as novas regras.

Para isso, a empresa precisa montar um time responsável por fiscalizar e monitorar o comportamento das equipes. Ele será responsável por garantir que os funcionários utilizem as informações da empresa corretamente, além de sempre incentivar o cumprimento da lei.

6. Desenvolver um plano de ação

Antes que a Lei Geral de Proteção de Dados entre em vigor, sua organização precisa montar um plano de implementação detalhado. É necessário definir o que será alterado, como isso será feito, qual o prazo e quais funcionários serão responsáveis por cada processo.

Assim, é possível garantir que todas as normas da LGPD sejam seguidas e todos os processos da organização passem a ser executados em conformidade.

A partir de ações bem estruturadas, as empresas conseguirão começar a se adequar a LGPD e evitar a má utilização ou vazamento de dados sensíveis. Desse modo, poderão iniciar uma nova fase de conformidade, sem se preocupar com as punições do não cumprimento dessa lei. Além disso, podem mostrar a seus clientes que já estão preparadas para tratar seus dados com maior privacidade, melhorando a sua imagem diante do mercado.

Posts relacionados

Top 5 ransomwares que mais atingiram empresas em 2019

Conhecer os principais tipos dessa ameaça é o primeiro passo para manter as informações corporativas seguras.

Cyber resilience: o que é e como aplicá-la nas operações de segurança

O conceito de resiliência cibernética mescla segurança cibernética, continuidade de negócios e resiliência em nível empresarial.

Qual a importância do gerenciamento de riscos de parceiros e clientes?

Toda avaliação de risco envolve vários elementos-chave.

Escreva seu comentário