<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis

Automação industrial como forma de conquistar qualidade

Publicado em 5/jan/2018 5:00:00

Descubra porque máquinas inteligentes e conectadas vão substituir mão de obra humana na gestão da qualidade das empresas.

 

Automação industrial como forma de conquistar qualidade

Em pouco tempo, máquinas conectadas à Internet substituirão cerca de 35% do trabalho humano, especialmente na gestão da qualidade na cadeia produtiva industrial. É o que preveem especialistas que estão estudando forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da 4ª Revolução Industrial, ou Indústria 4.0.

 

A automação industrial é uma aliada na gestão da qualidade, já que robôs serão capazes de realizar análises com alta precisão e menor margem de erros. Através de programações específicas, dispositivos com sensores IoT e Inteligência Artificial (IA), será possível fazer, por exemplo, comparação entre peças corretas e as que foram produzidas com alguma falha e retirá-las da linha de montagem antes mesmo que sejam utilizadas no produto final.

 

A qualidade é uma preocupação constante de qualquer empresa que não quer ver sua reputação e ativos desvalorizados por questões de recall de produtos ou reclamações constantes de fragilidade e inutilidade de suas peças.

 

O Departamento de Política Científica e Econômica da União Europeia fez uma análise SWOT da Indústria 4.0 e uma das forças listadas com a automação industrial é justamente o aumento da eficiência e do controle da produção, colaborando exponencialmente para a gestão da qualidade.

 

A mão de obra especializada no controle dos atributos das peças e produtos que será substituída por robôs, precisará de maior qualificação para ser remanejada para outros setores da empresa, com a expectativa de salário mais elevado.

 

Entre os pontos fracos e ameaças da automação industrial estão a perda de controle do processo produtivo e a invasão das redes por hackers que queiram sequestrar informações, roubar dados estratégicos ou mesmo prejudicar concorrentes, implantando vírus nos sistemas ou reprogramando a operação das máquinas.

 A Cisco e a Internet de todas as coisas

No entanto, com o estabelecimento de processos e soluções de segurança eficientes, a adoção da automação em parceria com a gestão da qualidade trazem diversos cortes de custo. Além da gestão de qualidade digital, de acordo com a pesquisa Industry 4.0 at McKinsey’s model factories, o controle estatístico e avançado do processo produtivo também podem reduzir os custos de produção, alcançando economia entre 10% e 20% assim que a fábrica aplica automação na cadeia.

 

Indústria 4.0 gerencia processo produtivo em tempo real e de forma remota

 

O termo Indústria 4.0 foi criado pelos empresários alemães e define o aumento da informatização na manufatura, conectando máquinas e equipamentos autônomos através de sensores de IoT com redes de Internet.

 

Através desta conexão, robôs são geridos e coordenados de forma remota, sendo que os gestores podem acompanhar toda produção, ajustando parâmetros sem mesmo pisarem na fábrica.

 

As expectativas com a 4ª Revolução Industrial são dar escala e massificar o uso de tecnologias, desenvolver serviços e novos modelos de negócios com a grande disponibilidade de dados gerados e, principalmente, tornar as fábricas existentes mais inteligentes, para aumentar a produtividade com qualidade.

 

De acordo com outro estudo da Mckinsey, a previsão é de substituição parcial do maquinário já existente, alcançando proporção entre 40% e 50% nos próximos 10 anos, uma vez que a ideia é reformular as tecnologias já existentes, contemplando o gerenciamento de custo.

 

Nem por isso os investimentos serão pequenos. Uma pesquisa da PWC, realizada em 2016 com 2 mil empresas de 26 países, aponta que estão sendo previstos custos de cerca de 907 bilhões de dólares em aportes até 2020 na transformação digital, cerca de 5% da receita das empresas.

 

Com estes investimentos, as companhias esperam ver uma redução de custo em torno de 421 bilhões de dólares e ganhos de receita em 493 bilhões de dólares por ano. Números muito significativos para o cenário econômico mundial.

 

 

Fontes:

http://www.blsistemas.com.br/automacao-industrial-e-gestao-da-qualidade-tendencias-com-a-transformacao-digital/

https://exame.abril.com.br/revista-exame/a-disrupcao-esta-mudando-o-mundo-como-o-conhecemos/

http://hotsite.fiesp.com.br/industria40/index.html#

 

Categorias: Automação, Transformação Digital, Indústria 4.0