<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

Como avaliar investimentos de infraestrutura de TI?

Publicado em 23/mai/2018 5:00:00

5 fatores devem ser obrigatoriamente avaliados, entre eles, o ganha de produtividade e o Retorno sobre o Investimento.

 

Como avaliar investimentos de infraestrutura de TI?

 

Em tempos de mercados voláteis, incertezas econômicas e políticas, toda empresa que pretende ser competitiva, avalia seus custos de operação centavo por centavo.

Nesta conta, um dos fatores fundamentais em um contexto altamente tecnológico é a avaliação de investimentos na infraestrutura de TI. Saber onde estão as principais ferramentas, os retornos que elas oferecem para as empresas e onde estão os gargalos, é fundamental para planejar a manutenção de um negócio no mercado.

A melhor avaliação de investimentos em TI deve levar em conta os seguintes fatores: produtividade, tempo de resposta, satisfação do usuário, TCO e ROI. Pronto, a partir desses principais pontos, é possível fazer uma avaliação básica de onde a empresa está ganhando ou perdendo oportunidades.

1. Produtividade: criar um ambiente eficiente é o primeiro objetivo da aquisição de novas tecnologias. Depois que uma ferramenta foi adquirida, qual foi o aumento de produtividade alcançado? Essa resposta vai apontar se o investimento foi correto.

2. Tempo de resposta: todos os usuários esperam de um computador que ele responda rápido aos comandos e que desafogue suas atividades, ao invés de complicar ainda mais. O tempo de resposta, assim como o tempo para resolução de problemas dos sistemas são dois índices que permitem fazer uma avaliação técnica da infraestrutura de TI, para que sejam encontradas soluções para os principais gargalos.

3. Satisfação do usuário: a tecnologia pode ser a melhor do mercado, pode ter as melhores interfaces e soluções que vão atender diretamente a necessidade de uma empresa, mas se não agradar o usuário, com certeza será deixada de lado e o investimento se transformará em prejuízo.
Antes da aquisição de uma ferramenta ou serviço, o ideal é fazer uma pesquisa prévia com o público interno e externo para sondar como essa tecnologia será utilizada e qual problema precisa resolver antes de ser imposta. A margem de erro fica bem menor e a chance de agradar boa parte do público aumenta.

4. TCO: sigla em inglês para Custo Total de Aquisição. Representa todo o investimento necessário para comprar, instalar e manter o funcionamento de determinado sistema. Nesta conta deve entrar mão-de-obra, tempo de trabalho, softwares, hardwares. Este índice é importante especialmente para balizar futuras compras de tecnologia e oferecer uma média de custo para os gestores programarem uma nova compra.

5. ROI: sigla em inglês para Retorno sobre o Investimento. É talvez a métrica mais significativa e palpável desse conjunto de fatores e significa: quanto de retorno financeiro uma empresa teve a partir do momento que investiu em determinada tecnologia. Aqui é uma comparação numérica, que pode ser buscada nos relatórios especialmente financeiros.

 

Treinamentos Comstor Americas



Em resumo, independente do tamanho de um negócio, seja micro ou grande empresa, sempre existirá tecnologias que poderão ajudar a aumentar a produtividade e competitividade.

Porém, cada negócio tem as suas necessidades, desafios, personalidade e, por isso, muitas vezes, investir em ferramentas que estejam em alta no mercado, pode significar perda de tempo e dinheiro.

O importante é conhecer o grau de amadurecimento tecnológico do negócio, avaliar os equipamentos e serviços já instalados, quais as tecnologias que poderiam melhor compor com essas existentes e ainda, conhecer as necessidades reais dos usuários e o envolvimento que têm com a tecnologia.

 

Categorias: Infraestrutura