<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Nextmove Security 2019
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

Como combater o roubo de identidade com a ajuda da Inteligência Artificial?

Publicado em 19/mar/2019 5:00:00

Tecnologia permite identificação de usuários em alta escala.

 

Como combater o roubo de identidade com a ajuda da Inteligência Artificial?

 

Um levantamento da Agência Europol, o Serviço Europeu de Polícia, aponta que o roubo de identidades é um mercado mais rentável do que o comércio global de drogas ilícitas. De acordo com a entidade, as vítimas em todo o mundo perdem cerca de 290 bilhões de euro por ano devido a esse tipo de cibercrime.


A empresa de segurança em TI Rapid7 divulgou um estudo em que aponta que os responsáveis pelo crescimento desses roubos são os próprios usuários, que no primeiro trimestre de 2018 aumentaram a visita em sites maliciosos ou instalaram e executaram softwares questionáveis ou ainda foram aliciados por e-mails e anexos de remetentes desconhecidos, via ataque por phishing.

 

AI combate fraudes

Uma das soluções para diminuir as iniciativas de invasões é justamente investir em Inteligência Artificial, que pode ajudar a parar ciberataques ao cruzar variáveis e encontrar comportamentos que saem do padrão de um usuário ou das configurações pré-determinadas.


A partir do momento em que um ataque é reportado, a resposta de contenção do incidente é muito rápida, reduzindo consideravelmente o tempo de permanência do vírus no sistema, melhorando a eficácia da equipe de segurança, além de diminuir o impacto comercial de qualquer risco de vazamento de informações, sequestro e/ou exclusão de dados.


Provavelmente, um ataque semelhante não volta a acontecer, uma vez que a AI, reconhecendo a causa raiz, usa as informações de ataque bloqueados para melhorar a postura de proteção de uma forma geral, compreendendo onde se instalam os vírus, por onde entram as ameaças e quais são as lacunas na estrutura. Isso significa que tipos de ataques são eliminados, diminuindo a reinserção do mesmo vírus no sistema.

 

Entre em contato


Em uma instituição financeira, por exemplo, que monitora seu sistema contra fraudes, é possível saber o IP do cliente, os dispositivos pelos quais se conecta, os horários mais comuns em que costuma fazer pagamentos e transações em suas contas correntes, assim como as funções dos aplicativos que mais utiliza.
Se houver uma mudança muito brusca neste estado, um alerta é ativado e o cliente passa a ser monitorado com maior intensidade, sendo que o sistema está programado para barrar alguma ação que possa prejudicá-lo.

 

AI colabora no combate do roubo de identidade

Muitas são as manobras utilizadas por hackers para obter acesso aos dados pessoais de uma pessoa ou invadir um banco de dados com informações dos clientes de uma empresa. Essas ações podem ser vírus, phishing ou mesmo monitoramento da rede para capturar os dados pessoais mais importantes.


A primeira vantagem de utilizar a Inteligência Artificial na leitura das informações pessoais é justamente tirar o trabalho do manual, que depende da visão de um humano. A segunda vantagem é o aumento da escala. A AI torna possível processar, verificar e autenticar rigorosamente identidades em volumes muito maiores, agilizando processos de identificação.


Mesmo que um hacker esteja utilizando uma identificação roubada para acessar um banco de dados, por exemplo, a AI é capaz de reconhecer um pequeno deslize ou detalhe fora do padrão do usuário real, alertando as equipes de TI sobre possível invasão.


A equipe de TI deve acompanhar o comportamento normal de cada usuário, conhecendo os horários mais comuns de login e logout, locais e dispositivos que utiliza para se conectar ao sistema e, caso haja algum desvio desses padrões, enviar um alerta para equipe de segurança.


Um login, por exemplo, proveniente de um país em que a empresa não tenha outra unidade pode ser considerado suspeito. Todo esse processo pode ser feito pela Inteligência Artificial e Aprendizado das Máquinas, programando as máquinas para conhecerem os usuários dos sistemas.

 

Categorias: Segurança, Inteligência Artificial