<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

Como explorar a Inteligência Artificial para automatizar a infraestrutura de TI

Publicado em 31/mai/2018 5:00:00

Em 2020, 75% das médias empresas utilizarão automação em TI. O uso de AI ajudará na redução de custos e ganho de produtividade da equipe.

 

 

31_05_header_Comstor

 

A Inteligência Artificial (AI) oferece diversos recursos para facilitar processos gerenciais, a comunicação com o cliente, além de outras vantagens como a automação da infraestrutura de TI.


Empresas de qualquer porte podem investir na tecnologia, que se torna mais acessível e oferece várias ramificações, tais como Machine Learning, blockchain e chatbots.


Diante de todas as possibilidades, empresários que ainda não contam com os recursos da AI devem acelerar a implantação do sistema, contando com os recursos de pessoas e infraestrutura esperados para a melhor experiência.

 

Cerca de 80% dos empreendimentos já começaram a investir em Inteligência Artificial e um a cada três dentre os líderes de mercado acredita que precisa aumentar esse investimento nos próximos três anos. Os dados foram publicados no final de 2017.


Ao utilizar a AI é preciso, além de um projeto adequado com o mapeamento dos resultados vindos da implementação da tecnologia, uma equipe que esteja adequada e tenha qualificação para atingir os objetivos e não o contrário, como costuma acontecer, quando a empresa tenta alinhar ao quadro atual de funcionários o conceito e aplicação da Inteligência Artificial no negócio.

 

Além de ter a equipe preparada para adotar a tecnologia, é indicado ainda que o investimento vá além dos softwares e cheguem nos hardwares da empresa. Um erro clássico é acreditar que é possível extrair o melhor da tecnologia com máquinas de processamento lento.

 

 

A Cisco e a Internet de todas as coisas

 


A infraestrutura adequada potencializa o uso da ferramenta e ajuda o empresário a não perder dinheiro com investimentos pouco fundamentados nas possibilidades do negócio ou ainda com a aplicação parcial da automação.

 

O uso estratégico da AI, que influencia na redução de custos, ainda está crescendo. Para exemplificar, basta analisar os dados atuais, cada vez mais crescente, de investimento na automação da TI.


Enquanto hoje metade das médias empresas aplicam a automação, em 2020 o número deverá alcançar o patamar de 75%. E por que isso é importante? Especialmente por otimizar as ferramentas da Inteligência Artificial, que além de informar erros de sistema passa a corrigi-los imediatamente.

 

A esperada e promissora automação, no entanto, não precisa acontecer imediatamente após a adoção da AI. O indicado é que ela ocorra quando a empresa tiver maturidade nos processos e conte com as ferramentas adequadas.


Ou seja, o melhor caminho é começar a implantar a tecnologia aos poucos e ir camada a camada construindo o seu desenvolvimento, até atingir a automação completa.


No Brasil, uma indústria alimentícia de grande porte investiu recentemente na tecnologia e já mensurou diversos resultados positivos em poucos meses. O tempo de espera caiu de 30 para 3 segundos e o de atendimento prestado aos funcionários pelo departamento de TI foi de 15 para 5 minutos, em média. Por meio da tecnologia, as perguntas mais comuns estão registradas em sistema e são facilmente acessadas por todos. O ganho de produtividade a longo prazo é gigantesco.


De acordo com o relatório The CIO’s Guide To Automation, AI, And Robotics, publicado pela consultoria Forrester, as empresas que quiserem seguir inovando precisam se dedicar à automação, sendo que os impactos ao aderir à tecnologia serão: processos robóticos aprimorados com Inteligência Artificial, infraestrutura definida por software, automação de marketing, visão computacional e robótica física (robôs).


Contar com um sistema confiável e escalável é outra recomendação importante, ideal, portanto, que não sejam soluções on-premises. Mais de 77% dos entrevistados em pesquisa recente indicam que enfrentam uma ou mais limitações por que optaram por infraestrutura interna.


Também é mais indicado armazenar informações na Nuvem do que investir em servidores próprios, justamente por terem poder de armazenamento infinitamente maior e custos menores.


Ao investir em AI a empresa ganha ainda com resultados imparciais, sem que haja nos relatórios e análises julgamentos interdepartamentais e preconceitos entre as áreas, de maneira que se aponte as melhorias possíveis, os responsáveis por erros, entre outras situações, com o máximo de eficiência.

Categorias: Automação, Infraestrutura, Inteligência Artificial