<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

Como garantir privacidade e segurança em ferramentas de videoconferências?

Ferramentas de videoconferência estão se popularizando mas exigem cuidado com a segurança de dados.

O isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, para evitar uma disseminação exponencial da doença, fez com que diversos setores da população laboral ativa se tornassem trabalhadores remotos, muitos pela primeira vez. 

O aumento repentino do home office gerou uma demanda expressiva por ferramentas de videoconferência e outros sistemas de interação remota. 

Segundo dados do relatório da App Annie, em apenas uma semana, entre os dias 14 e 21 de março, 62 milhões de downloads de aplicativos (app) de videoconferência foram registrados em todo mundo. 

Seja por motivos profissionais ou pessoal, estas ferramentas se tornaram essenciais para contornar a necessidade de distanciamento. Contudo, mesmo com as gritantes vantagens dessas tecnologias, é essencial que os seus clientes saibam proteger os seus dados contra ataques cibernéticos.

Mas como garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências e evitar o vazamento de dados? Acompanhe o post e entenda.

As possíveis falhas de segurança em ferramenta de videoconferência

Durante o período de quarentena, ferramentas de videoconferência, sistemas de chat, dispositivos de colaboração on-line, sistema de gestão remota, dentre outros, ganharam popularidade entre as empresas. 

Considerando o aumento expressivo de downloads de app de videoconferência, vamos abordar algumas das principais falha de segurança que essas ferramentas podem apresentar.

Webex for free

Em caso de invasão, o cibercriminoso consegue acessar a câmera e o microfone dos usuários, o que permite desde a invasão em reuniões particulares até a disseminação de malwares nos computadores.

Além disso, algumas ferramentas podem não possuir uma criptografia de ponta a ponta. Essa tecnologia protege os dados enquanto eles circulam pela rede, garantindo que apenas os usuários envolvidos na transmissão tenham acesso ao conteúdo. 

Portanto, é indispensável que os seus clientes realizem uma pesquisa criteriosa antes de optar por uma ferramenta de videoconferência, verificando as opiniões de outros usuários e também as orientações da sua revenda de TI. 

Dicas para garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências

Confira a seguir algumas dicas de como garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências e evitar o vazamento de dados.

1) Controle de privacidade

Ao utilizar essas ferramentas de compartilhamento de dados é importante associá-las ao uso de dispositivos que detectam possíveis ameaças, com base em comportamentos incomuns e que tenham forte integração com soluções em nuvem. Assim, elas estarão sempre atualizadas e integradas a outros sistemas de Threat Intelligence.

Além disso, é interessantes que as entradas de microfone e câmera sejam fechadas fisicamente para evitar possíveis acessos indesejados, e sejam liberado somente quando for essencial. 

E em casos de compartilhamento de tela, o recurso deve ser limitado para o administrador, ao em vez de exibir toda a área de trabalho, a seleção específica deverá ser realizada. 

2) Cautela com dispositivos móveis

Outra maneiras de garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências é potencializando o sistema dos dispositivos móveis. Além do desktop e notebook, é comum a utilização do celular para participação de reuniões remotas. 

Para manter o recurso seguro, é interessante empregar ferramentas de gestão com MDM para controlar o tipo de software que pode ou não ser instalado, e contar sempre com um antivírus eficiente. 

Além disso, adotar a verificação de dois fatores para proteger as senhas também é uma medida necessária. 

3) Controle de acesso

A maioria das ferramentas de videoconferência permite a criação de grupos para a realização de encontros ou reuniões, podendo restringir o acesso para convidados ou um número máximo de participantes. Uma dica é criar a restrição por meio do domínio da internet, assim somente usuários que compartilham e-mail empresariais, por exemplo, terão acesso. 

Como garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências é uma necessidade, pequenas cuidados podem fazer a diferença. Outra sugestão é criar senhas individuais de acesso, que sejam compartilhadas via telefone e que sejam cobradas ao começar a  reunião. Assim, a fiscalização de anormalidades se torna mais simples.

4) Transferência de arquivos

Esta é uma das maneiras de garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências mais importantes. A criptografia é uma tecnologia indispensável para assegurar que os dados compartilhados sejam protegidos.

Vale ressaltar que essa qualidade não é intrínseca das ferramentas de comunicação em vídeo, portanto é essencial que o seu cliente conheça as particularidades do aplicativo escolhido. Algumas oferecem a criptografia para serviços específicos e podem não englobar todas as atividades realizadas em reunião.

Tomando esses cuidados gerais de como garantir privacidade e segurança em ferramenta de videoconferências, a proteção de dados estará mais fortalecida. Além disso, em casos empresariais, os setores de TI podem desenvolver treinamentos remotos ensinando a manusear essas ferramentas com qualidade e inteligência.

 

Posts relacionados

Quais as principais dúvidas das empresas sobre segurança de endpoint?

Esse processo é responsável por proteger os dispositivos dos usuários conectados aos sistemas corporativos. Saber tudo sobre o assunto é crucial para a segurança da informação.

Gestão de vulnerabilidades: o que é e como colocar em prática?

Ataques virtuais e preocupações com cibersegurança trazem à tona termos como a gestão de vulnerabilidades e segurança de dados.

Compliance em TI: o que é e qual o seu papel nas empresas?

Práticas de segurança podem otimizar os resultados da TI e a proteção de dados organizacional.  

Escreva seu comentário