<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki

Como promover a segurança de hospitais contra os ciberataques

Publicado em 7/ago/2018 5:00:00

Setor é alvo frequente de invasores e precisa de ferramentas específicas de defesa.

 

Como promover a segurança de hospitais contra os ciberataques

 

WannaCry é um dos últimos ataques ransomware que se tem conhecimento de grande amplitude mundial. Ele sequestrou milhares de dados de empresas. Já o malware Wiper se mantém firmes nas redes e vem se atualizando para circundar os sistemas, apagando computadores.


São ameaças diárias que cercam redes de forma ininterrupta nos sete dias da semana durante 24 horas. Por isso, os sistemas devem estar preparados com ferramentas de segurança fortes e em vigilância contra ameaças.


O mercado de Healthcare é um dos principais alvos de hackers já que as empresas deste segmento possuem muitos dados importantes guardados e são conhecidas por investirem menos em segurança contra ciberataques, estando mais vulneráveis e fáceis de serem invadidas.


Especialmente em hospitais, imagine a destruição que causaria o sumiço de prontuários médicos, ou a invasão no sistema de gerenciamento de ambulâncias ou ainda sequestros de dados administrativos, como uma simples escala de plantões.


Toda organização de saúde precisa considerar o impacto financeiro de ciberataques, tendo a consciência de que os investimentos para reverter o impacto causado pelas invasões são maiores do que investir em precauções.

 

 

Soluções disponíveis no mercado


Alguns fornecedores de tecnologia, conhecendo as fragilidades no setor healthcare criaram soluções personalizadas, que oferecem ferramentas específicas para este mercado.


Uma delas utiliza segmentação de rede tradicional ou as a service para proteger dispositivos médicos e registros de dispositivos não clínicos e a disseminação lateral de malware.


A partir dela, é possível criar acesso seguro à rede e gerenciamento de políticas a partir da necessidade de cada um dentro do hospital. Administradores precisam acessar um tipo de documento que não é de interesse de médicos. Assim como enfermeiros, cientistas e técnicos de laboratórios.

 

Baixar e-book grátis


Dependendo da plataforma, pacientes podem acessar o servidor para checar resultados de exames, assim como visitantes. Enfim, todos precisam de conectividade de forma confiável e segura, ao mesmo tempo em que as informações do estabelecimento devem estar resguardadas.


Além disso, outros dispositivos precisam se conectar também, além de celulares, dispositivos de cuidados críticos para telemedicina, por exemplo. Assim como automação e controle predial, impressoras, telefones, câmeras. Todos sem nenhuma falha sequer de segurança e extremamente protegidos contra hackers.


Há solução de tecnologia específica para promover a segurança contra malwares em hospitais no mercado, analisa dados para identificar padrões, detecta anomalias e cria modelos para prever se um domínio ou IP é malicioso, correlacionando dados automaticamente e bloqueando ataques antes mesmo que atinja endpoints ou a rede.


Este tipo de ferramenta protege os dispositivos que estão conectados na rede, mesmo que não estejam fisicamente dentro do estabelecimento, acompanhando o usuário e evitando invasões em momentos que não esteja sobre o guarda-chuva de segurança do hospital.


As pegadas de endpoint do Windows e do Mac OS X reforçam a segurança nas camadas de DNS e IP para impedir o comprometimento do sistema e o roubo de dados em qualquer porta ou protocolo. Independente se os dispositivos estão ligados ou desligados da rede corporativa, a ferramenta registra ou bloqueia toda atividade da Internet considerada maliciosa.

 

Em resumo, os sistemas das empresas do setor de saúde são alvos de invasores e presas fáceis por conta da falta de manutenção e investimentos em segurança. Também porque têm muitas especificações personalizadas que não permitem um trabalho padrão como copiar configurações de uma empresa do varejo, por exemplo.


Por isso, fornecedores de tecnologia já criaram ferramentas específicas para atender as demandas de hospitais, clínicas, postos de saúde, considerando cada detalhe e necessidade desse mercado.

 

Categorias: Segurança