<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

Compliance em TI: o que é e qual o seu papel nas empresas?

Práticas de segurança podem otimizar os resultados da TI e a proteção de dados organizacional.  

 

É fato que a TI já é indispensável para o planejamento estratégico de qualquer organização. Por meio da adoção de soluções modernas e inteligentes, o acesso a dados essenciais passou a ser rápido e prático, o que ajuda, sem dúvidas, a tomada de decisões.

No entanto, uma elevação proporcional na quantidade de crimes digitais como violações à privacidade, fraudes e falhas técnicas acompanhou essa evolução. Por isso, um conjunto de medidas emergenciais foram estruturadas para garantir maior segurança aos dados, o compliance.

Se o departamento de TI ainda não implementa o compliance, está faltando uma parte essencial da equação de proteção do negócio. Com as informações que vamos abordar neste post, essa lacuna, certamente, pode ser preenchida.

O que é compliance em TI?

Antes de entender o seu papel nas empresas, vamos explorar as definições de compliance.

Grosso modo, compliance é um conjunto de boas práticas capaz de tornar o ambiente corporativo mais seguro e otimizar a produtividade do negócio. Suas medidas emergenciais ajudam a empresa a lidar com inovações disruptivas que podem surgir eventualmente.

Em TI, as práticas são voltadas para assegurar que as informações da organização atendam aos padrões, regulamentos e estruturas de seguranças específicos, tais como LGPD, PCI DSS, GDPR, Marco Civil da Internet, Lei de Direitos Autorais, dentre outras, para a proteção de diferentes tipos de dados.

Além disso, assim como a segurança da informação, o compliance em TI também ajuda a proteger ativos digitais. Neste caso contudo, suas medidas são sempre definidas por terceiros, não pela própria empresa. Seja um cliente, norma legal ou qualquer que seja o orientador das políticas de segurança.

Qual o seu papel nas empresas?

O setor de TI é o responsável por garantir que os demais setores usufruam de todas as tecnologias disponíveis no negócio, com agilidade e segurança. Certo?

Ao empregar as práticas de compliance, o setor reforça essa qualidade. Isso porque as práticas permitem mitigar erros no processamento de dados, implementar medidas preventivas contra irregularidades normativas, assegurar operações mais seguras, proteger as infraestruturas de rede contra invasões ou ataques, usar adequadamente de dados corporativos, e assim por diante.

Garanta a conformidade com a LGPD

Para manter o nível de segurança elevado, o compliance em TI deve contar com alguns cuidados especiais, tais como: 

  • alinhamento das práticas a realidade do negócios;
  • atualização contínua da infraestrutura de TI; 
  • implementação de VPNs em dispositivos de trabalho remoto; 
  • avaliação de lacunas e riscos;
  • gerenciamento de riscos cibernéticos;
  • identificação e mitigação de ameaças;
  • gerenciamento de identidade e acesso;
  • monitoramento e segurança de redes e aplicativos;
  • plano de recuperação de desastres;
  • estruturas de segurança operacional;
  • terceirização de suas necessidades em compliance;
  • execução de auditorias internas;
  • implementação de uma cultura de compliance.

Como melhorar o compliance em TI?

Independentemente de quem defina as regras de proteção do compliance em TI, o maior desafio está em garantir que os funcionários as obedeçam. 

Para estimular essas práticas dentro da empresa e torná-las parte da cultura, separamos algumas dicas interessantes. Veja a seguir.

1) Revisar as práticas de compliance

Antes de mais nada, o TI deve verificar a aplicabilidade das práticas. Ou seja, se elas são justas, eficientes e atendem a real necessidade da empresa.  

2) Educar a equipe

Feito isso, é importante que o TI prepare uma apresentação ou material de divulgação com uma justificativa para o uso obrigatório das práticas adotadas. A equipe deve estar consciente da importância de respeitar e seguir tais políticas de segurança.

3) Implementar um software de monitoramento

Uma maneira de reforçar o papel do compliance em TI é implementado um software de monitoramento. A tecnologia pode identificar inconformidades, prevenindo a segurança dos dados e dos sistemas. 

4) Designar um líder

Outra dica importante para assegurar a qualidade da operação é definir um responsável pelo compliance em TI. Isso porque ele se dedica a esse controle com exclusividade, preservando o seu papel nas empresas. Ele deve, portanto, revisar regularmente as políticas empregadas, supervisionar, fiscalizar e avaliar a sua qualidade.

 O compliance em TI tem um papel fundamental para manter o negócio em dia com as principais normas e políticas de segurança e preservar os dados contra ciberameaças. Todos essas dicas que abordamos neste post podem tornar a infraestrutura de TI mais robusta e segura, reforçando a proteção dos dados das empresas.

Posts relacionados

Quais as principais dúvidas das empresas sobre segurança de endpoint?

Esse processo é responsável por proteger os dispositivos dos usuários conectados aos sistemas corporativos. Saber tudo sobre o assunto é crucial para a segurança da informação.

Gestão de vulnerabilidades: o que é e como colocar em prática?

Ataques virtuais e preocupações com cibersegurança trazem à tona termos como a gestão de vulnerabilidades e segurança de dados.

Política de Privacidade de dados: o que é e como montar uma?

Esse documento legal é cada vez mais importante para as empresas à medida que a LGPD se aproxima. Veja como reestruturá-la e não sofrer com multas e prejuízos.

Escreva seu comentário