<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora

De BYOD para BYOW: a rede de seus clientes está preparada para dispositivos

Publicado em 26/out/2018 5:00:00

Bring Your Own Wearable Devices desafia a segurança corporativa.

 

De BYOD para BYOW: a rede de seus clientes está preparada para dispositivos

 

 

Bring Your Own Device ou BYOD foi um termo criado para expressar o uso de dispositivos pessoais no ambiente de trabalho e começou a tomar força no começo de 2010. Agora, a discussão gira em torno do BYOW ou Bring Your Own Wearable Devices.


O que isso significa? Significa traga seu próprio dispositivo vestível para o trabalho, para melhorar a sua produtividade. Wearables são dispositivos tecnológicos que podem ser usados como peças do vestuário. Nesta lista estão incluídos, por exemplo, relógios e óculos inteligentes, assim como monitores de saúde dos funcionários, que medem seus níveis de estresse durante o trabalho e emitem alertas de descanso e nos momentos em que devem tomar uma água.


De acordo com o Huffington Post, o crescimento do mercado de wearables poderá chegar a 130 milhões de dispositivos até o final de 2018, apontando um interesse do público em geral e significando que BYOD e BYOW vão desafiar novamente a questão da segurança corporativa.


Para os próximos anos, a previsão é de 213,6 milhões de unidades vendidas até 2020, de acordo do IDC, que calcula um crescimento anual composto de 20,3% da venda dos dispositivos.


A pergunta que deve ser feita pelos fornecedores de tecnologia aos seus clientes nesse momento é se suas redes estão preparadas para mais essa carga de trabalho. É logicamente uma oportunidade de mercado para os parceiros que conhecerem as soluções mais eficientes e personalizadas para cada negócio.

 

Baixar e-book grátis


Entre os pontos que precisam ser necessariamente considerados, estão:


1 – Segurança da rede:

Dispositivos de qualquer lugar, incluindo dispositivos portáteis e vestíveis, podem conter malware e causar vulnerabilidades na rede. Por isso, a TI precisa identificar novas conexões de dispositivos na rede e saber se estão aptos a navegaram pelo sistema.


O ideal é fazer como no BYOD e registrar também os dispositivos vestíveis para que tenham autorização de se conectarem na rede corporativa. Fazer um cadastro junto à equipe de TI é essencial para que suas atividades sejam identificadas na rede. Então, o dispositivo ganha um login e uma senha específicos para ser utilizado.


A política de segurança deve incluir agora também os wearables, sendo que de forma clara, deve informar o que pode ou não ser acessado dentro da empresa por meio dos novos equipamentos.


2 – Proteção de dados

Quais os dados coletados por cada um desses novos dispositivos? Eles passarão a ser transportados agora via corporativa. Os dados são estão criptografados? A proteção de dados é um fator crítico para qualquer plano seja de BYOD ou BYOW.


3 – Dimensionamento da largura da banda:

Não é porque o dispositivo é pessoal que downloads e dados da empresa podem ser consumidos livremente. A equipe de TI deve conhecer cada dispositivo conectado, o quanto consome de recursos da empresa para dimensionar corretamente o contrato com fornecedores de banda larga. Dispositivos que, porventura, venham a sobrecarregar a rede, devem ser impedidos de ser utilizados.


4 - Monitoramento de rede eficaz:

Além de toda a questão de segurança, como firewalls e antivírus atualizados, controle de acesso de usuários, login e senha para todos, enxergar a rede por completo é essencial para que todo o benefício do BYOD e agora BYOW seja usufruído tanto pelos colaboradores, quanto pelas empresas.


Em resumo, a medida em que mais tecnologias de consumo estão se conectando à rede corporativa, a segurança e o gerenciamento de dispositivos móveis estão exigindo mais das redes corporativas e, claro, também da equipe de TI, que além de conhecimento, precisam acrescentar monitoramento sistemático e novos componentes de segurança.

Categorias: Transformação Digital, BYOD