<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Partner Portal
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki

Mais de 40% da área de ciência de dados será automatizada até 2020

Publicado em 30/mar/2017 5:00:00

Para driblar a escassez de cientistas de dados, muitas de suas funções manuais passam a ser automatizadas.

Mais de 40% da área de ciência de dados será automatizada até 2020

Condensar e unificar o Analytics de autosserviço tradicional usado por usuários de negócios e as técnicas de Analytics avançado de cientistas de dados é uma tendência para a área de ciência de dados, que inicia o processo de automação de tarefas repetitivas, diminuindo parte do tempo gasto com ações manuais e exigindo menos conhecimento tão profundo dessa ciência.

 

De acordo com a consultoria Gartner, 40% da área de ciência de dados estará envolvida nesse processo, estando automatizada dentro de 3 anos. Com a automação, as organizações conseguem atingir níveis mais altos de escala e velocidade, podendo, inclusive, aumentar insights que antes não eram conhecidos.

 

Outros benefícios são o aumento significativo na produtividade dos cientistas de dados, com maior uso de dados e Analytics, mas também o aumento do alcance dos fornecedores na empresa e a diminuição de falhas nas competências de cada área.

 

New Call-to-action

 

Este movimento, na verdade, é uma forma que as empresas estão encontrando para driblar a escassez mundial de cientistas de dados, estatísticos ou outro especialista em análises. Surgem então os citizen data scientists, que em tradução livre significa cientistas de dados de cidadãos.

Este tipo de profissional foi descrito pela Gartner como uma pessoa que pode ter habilidade para trabalhar com dados, mas que não tenha formação necessariamente em Tecnologia da Informação, mas sim em matemática, engenharia, economia, administração ou mesmo ciências sociais, que são capazes de trabalhar com dados tendo uma visão ampla da sua usabilidade para o negócio.

 

Nem toda empresa tem capacidade de pagar por um cientista de dados nato, mas pode usar o conhecimento de um colaborador interno e desenvolver suas habilidades para a análise de informações. Os citizen data scientists não ameaçam os cientistas ou analistas de dados ou os analistas de negócios - muito pelo contrário - os ajuda. Porém, precisam de orientação sobre a forma como os especialistas trabalham as informações para que todo o trabalho empregado não seja desperdiçado em insights sem valor.

 

Fornecedores de tecnologia estão facilitando o surgimento do novo perfil profissional fornecendo ferramentas de análises com interfaces de melhor navegação, que usuários finais sem experiência em TI conseguem usar. Estes fornecedores estão atendendo a um pedido de todos os tipos de negócios que querem uma abordagem mais democratizada para grandes dados e análises.

 

Uma das preocupações das empresas com os citizen data scientists, porém, é que tenham um pouco da visão de TI, sabendo reconhecer os tipos de dados que são gerados e que precisam ser analisados. Já que o objetivo da descoberta de dados é expandir insights para impulsionar o valor, então é importante certificar-se de que um público com conhecimentos mais amplos seja capaz de interpretar gráficos, tabelas, pizzas e escalas que são apresentados para ele.  

 

As empresas precisam também se preparar, criando uma governança forte e estratégica para lidar com os novos processos. Uma vez que mais colaboradores ganham habilidades de executar cálculos e fazer as próprias descobertas, é possível que pessoas usando os mesmos dados cheguem a conclusões diferentes.

 

Enfim, fornecedores de tecnologia estão ajudando a criar novas formas de analisar informações; pessoas que não têm conhecimento específico em TI, mas que sabem trabalhar bem com dados ganham outras atribuições e chances de desenvolverem melhor suas carreiras e empresas que têm interesse nessas análises, estão se preparando tanto para receber novas tecnologias, quanto para preparar a nova equipe, apostando em custos mais baratos e em maior produtividade na análise de dados que poderão gerar valor para suas estratégias.  

 

Fontes:

http://www.executivosfinanceiros.com.br/ti/bi-bigdata/item/4682-mais-de-40-das-tarefas-da-ci%C3%AAncia-de-dados-ser%C3%A3o-automatizadas-at%C3%A9-2020.html

http://www.informationweek.com/big-data/big-data-analytics/citizen-data-scientists-7-ways-to-harness-talent/d/d-id/1321389

http://www.techrepublic.com/article/why-2016-may-be-the-year-of-the-citizen-data-scientist/

 

Categorias: Big Data