<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis

Mobilidade, Big Data e IoT impulsionam o mercado de automação de Data Centers

Publicado em 18/mai/2017 5:00:00

Todos os setores tem previsão de crescimento exponencial e os centros de dados precisarão ser eficientes para atender as demandas.

Mobilidade, Big Data e IoT impulsionam o mercado de automação de Data Centers

A quantidade de dados gerados no mundo cresce de forma exponencial e vem exigindo maiores investimentos na infraestrutura para serem armazenados. As estruturas de Data Centers precisam ser aprimoradas para que acompanhem a demanda, sendo a automação de suas funções uma das principais saídas.

 

Pesquisa da Allied Market Research (AMR) intitulada "Data Center Automation Market - Oportunidade Global e Previsão, 2014-2022", prevê que o mercado global de automação de Data Center deve crescer 19,6%, passando de US$ 2,483 milhões em 2014 para US$ 8,619 milhões até 2022. Este crescimento pode ser atribuído ao desenvolvimento da Computação em Nuvem, Mobilidade, da Internet das Coisas, jogos online, Big Data, mídias sociais e outros aplicativos online.

 

De acordo com pesquisa da consultoria Gartner, o mercado de aplicativos pode atingir 77 bilhões de dólares este ano. Já o estudo State of Mobile, promovido pela companhia Flurry, do Yahoo! em 2013, mostrava usuários gastavam 2,6 horas em dispositivos móveis por dia. Hoje, o número representa quase o dobro, com 4,9 horas gastas em smartphones e tablets. De todo esse tempo, 92% são gastos com aplicativos.

 

Já em um segmento mais maduro, como o mercado de tecnologia e serviços do Big Data, uma pesquisa da consultoria IDC aponta que haverá uma expansão seis vezes superior à da indústria de TI como um todo, passando a movimentar 41,5 bilhões de dólares em 2018, um crescimento composto anual de 26,4%.

 

A mesma consultoria divulgou que, até 2019, o mercado de Internet das Coisas vai movimentar cerca de 1,3 trilhão de dólares, um crescimento de 17% ao ano. De todos os dados que serão gerados, 43% deles já serão na Nuvem. Ou seja, o mercado de Cloud Computing também vai precisar de fôlego para continuar se desenvolvendo para atender a demanda deste segmento e de todos os outros.

 

Todos esses números comprovam o crescimento da geração de dados com perspectivas de serem ainda maiores nos próximos anos, exigindo que muitas das tarefas que são realizadas hoje pelo Data Center sejam automatizadas para que todo o processamento seja entregue de forma ágil, assim como todas as questões de segurança que permeiam o centro nervoso das empresas, que armazenam e processam todas as informações geradas por um negócio.

 

New Call-to-action

 

Benefícios da automação da Data Center

A automação do Data Center oferece mais agilidade ao gestores do sistema para encontrarem falhas e poderem trabalhar com ações preditivas. Além disso, oferece um valor consistente e mensurável em questões de monitoramento no setor de TI.

 

No Data Center automatizado, o próprio computador segue as etapas que seriam feitas de forma manual, depois de programado, criando mensagens de alerta com insight certeiro das condições do sistema no momento da falha. Outros benefícios envolvem a automatização das operações e do fluxo de trabalho, o que permite maior capacidade de armazenar dados, disponibilidade de servidores mais avançados, oferecendo serviços ainda mais velozes.

 

Passos básicos para começar

Para iniciar o processo de automatização, é preciso fazer uma verificação completa no Data Center, conhecendo cada um dos seus componentes, todos os dispositivos nele conectados, como eles se conectam e conversam entre si, qual o switch em que um servidor está conectado, qual a hierarquia do Data Center no cluster de hosts da máquina virtual (VM), entre outras informações que vão dar um panorama geral de todo o sistema e de forma específica.

 

Em seguida, é necessário programar os comandos para as próximas verificações, determinando a constância do monitoramento. Se será mais de uma vez por dia, em alguns horários específicos, se será semanal ou outra periodização que o gestor achar mais pertinente.

 

A verificação pode ser feita também por evento, programando o sistema para que inicie o processo de varredura se uma interface em um roteador ficar inativa por mais de 20 minutos, por exemplo. Outra possibilidade é fazer a vigilância por zonas, não precisando necessariamente sobrecarregar todo o sistema, fazendo ao mesmo tempo uma varredura completa.

 

Todas essas ações facilitam o dia a dia do gestor que vai se ocupar naprimeira programação da automação e depois consegue fazer pequenos ajustes ao longo do processo. O tempo que seria necessário para fazer a varredura de forma manual é economizado para ser utilizado em outras funções em sua área.

 

Fontes:

http://www.readitquik.com/news/elastic-computing/mobility-big-data-iot-drive-data-center-automation-market/

http://cio.com.br/tecnologia/2017/02/14/a-automacao-de-data-center-como-ela-deve-ser/

https://geekpublicitario.com.br/18071/tendencias-mobile/

https://www.globalweb.com.br/2014/09/mercado-mundial-de-big-data-deve-movimentar-us-415-bilhoes-em-quatro-anos/

http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&%25252525253bpost%25252525252525255Fdata=&UserActiveTemplate=site%252Csite&infoid=44416&sid=3

 

Categorias: Data Center