<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

O futuro da segurança de rede está na nuvem

A transformação digital exigirá um Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro (SASE na sigla em inglês) entregue na nuvem, já que a infraestrutura tradicional não é mais suficiente. 

A medida que as organizações buscam acelerar a sua transformação digital e adotam soluções SaaS e outros serviços baseados em nuvem, mais dados e aplicativos são operados fora da sua infraestrutura tradicional, ou seja, o data center.

Um desses serviços, a edge computing, virou a rede corporativa “do avesso”, invertendo padrões históricos que colocavam esse dispositivo como o centro de conectividade. Agora, o centro está na cloud. 

Isso significa que o perímetro do negócio não é mais um local, e sim um conjunto de recursos dinâmicos presente em todos os lugares que a empresa precisar. Por isso, líderes em segurança e gerenciamento de riscos precisarão de um serviço de acesso seguro ao perímetro, entregue na nuvem, para lidar com essa nova configuração. 

O modelo SASE da Gartner atende, justamente, a essa demanda. Continue acompanhando o artigo e entenda todos os detalhes dessa tecnologia para o futuro da segurança de rede.

O que é SASE?

É fato que o futuro da segurança de rede está na nuvem, as inovações tecnológicas já expõem essa condição há algum tempo. O Secure Access Service Edge (SASE) ou, em português, Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro é uma tecnologia criada para otimizar a qualidade dessas mudanças.

SASE trata-se de uma estrutura inteligente que garante o acesso seguro de usuários e dispositivos à nuvem. Uma borda de serviço, que protege a conexão, é criada permitindo que o acesso a recursos seja feito sem risco, independentemente da sua localização, do local de rede e do momento da solicitação. 

A tecnologia converte a rede e segurança de rede em uma única solução em nuvem, atendendo às diversas exigências da evolução digital, computação de ponta e mobilidade da força de trabalho com eficiência, resguardo e velocidade.

Segundo a Gartner, até 2024, pelo menos 40% das empresas terão estratégias explícitas para adotar o Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro.

Acesse o report grátis do Gartner

Como o SASE funciona?

Essa tecnologia oferece acesso seguro "definido por software" com base em políticas de uma rede adaptável. Considerando o real contexto do negócio, os profissionais de segurança podem especificar com precisão o nível de desempenho, confiabilidade, segurança e custo de cada sessão de rede. 

Ela é capaz de estruturar adaptações de eficiência à medida que o comportamento do usuário é analisado e os riscos subsequentes aumentam, ou conforme a confiança do dispositivo diminui. Garantindo assim, a competências de tais operações.

O seu surgimento criou a oportunidade de habilitar os requisitos de acesso dinâmico da transformação digital. Combinando recursos WAN abrangentes com funções de segurança de rede (como SWG, CASB, FWaaS e ZTNA), o SASE dá suporte a todas as operações na cloud.

Em outras palavras, ele reforça a máxima de que o futuro da segurança de rede está na nuvem; o SASE redefine redes corporativas e arquitetura de segurança de rede para remodelar o futuro do cenário competitivo.

Vamos ver um exemplo? Uma equipe de vendas opta por empregar soluções de mobilidade para otimizar a sua eficácia operacional. Porém, o uso da internet por meio de um Wi-Fi público pode não ser seguro, o que torna o acesso a aplicativos e dados corporativos um desafio. 

Sob essas circunstâncias, a estrutura SASE permite que a empresa construa uma borda de serviços de acesso seguro, mantendo a navegabilidade e permitindo um controle mais rigoroso dos usuários, dados e dispositivos conectados à rede. Tudo isso sem restrições de tempo e local. 

Logo, é alternativa ideal para garantir a segurança no tráfego de dados na cloud e otimizar a atuação da equipe remotamente.

Quais os benefícios do SASE?

Segundo a Gartner, os profissionais de segurança e risco precisam de uma malha mundial de recursos de proteção de rede, que possa ser aplicado quando e onde a empresa precisar. O futuro da segurança de rede está na nuvem e o Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro pode otimizar todo processo.

Algumas das principais vantagens dessa tecnologia são:

- Política centralizada com aplicação local

A tecnologia permite centralizar o gerenciamento na nuvem, mas inclui a tomada de decisão local quando é necessário.

- Custos e complexidade mais baixos

Com o SASE, o Network Security as a Service deve vir de um único fornecedor. Ao consolidar fornecedores e pilhas de tecnologia, é possível reduz os custos e complexidades e minimizar as falhas de rede.

- Rede e equipe de segurança de rede mais eficazes

O Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro simplifica a gestão de segurança cibernética nas organizações e aumenta a eficiência das equipes de TI. Tais profissionais melhoram o seu entendimento sobre o negócio, regulamentações de rede, requerimentos de acesso, etc, para otimizar a tomada de decisões estratégicas.

- Novos cenários de negócios digitais 

O SASE permite que a empresa desenvolva aplicativos, serviços, APIs e dados compartilháveis (​​para parceiros e colaboradores) com menos exposição a riscos em massa.

- Desempenho e latência melhorados

O SASE fornece a otimização da latência, melhorando o desempenho e roteamento em pontos de presença. Isso é especialmente interessante para aplicativos de colaboração, vídeo, VoIP e conferência na web.

- Sobrecarga operacional minimizada

O Serviço de Acesso Seguro ao Perímetro reduz o número de agentes necessários em um dispositivo ou a quantidade de equipamentos nas instalações, permitindo aplicações consistentes em qualquer lugar. 

Além disso, a atualização para novas ameaças não requer implantação de hardware ou software.

- Zero Trust habilitado

Com o SASE, a abordagem de proteção é a do zero trust, em que o acesso à rede é feito com base na identidade do usuário ou dispositivo, e não no endereço IP ou no local físico. Assim, a tecnologia garante proteção máxima dentro e fora da rede. 

Além disso, líderes em segurança podem adotar o CARTA (Continuous Adaptive Risk and Trust Assessment ou em uma tradução direta, abordagem estratégica contínua de avaliação de risco e confiança adaptativa) para manter esse monitoramento contínuo.

Portanto, o data center corporativo não é mais o centro da arquitetura de rede. É apenas um dos muitos serviços baseados na Internet, que os usuários e os dispositivos precisarão de acesso. 

O futuro da segurança de rede está na nuvem e o SASE tem papel de resguardo e potencialização fundamental no processo. 

 

Posts relacionados

  • Redes | Tempo para ler: 5 min

4 pontos importantes sobre Wi-Fi 6 e 5G que toda empresa deve saber

O avanço tecnológico trouxe opções de internet bastante expressivas para o ambiente corporativo, suas vantagens são incomparáveis. 

  • Redes | Tempo para ler: 4 min

Por que o 5G precisa da tecnologia Edge Computing?

Exigências necessárias para viabilizar as capacidades avançadas de mobilidade, computação e armazenamento em redes sem fio 5G são atendidas pela Edge Computing.

  • Redes | Tempo para ler: 5 min

Conexão VPN e home office: 5 principais problemas e como resolvê-los

Esse tipo de rede pode garantir a proteção e privacidade dos dados e sistemas corporativos. No entanto, é fundamental saber quais são os seus possíveis erros para corrigi-los rapidamente.

Escreva seu comentário