<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

O que é Perímetro Definido por Software?

Publicado em 8/abr/2019 5:00:00

SDP torna os usuários e os dispositivos invisíveis.  

 

O que é Perímetro Definido por Software?

 

Perímetro Definido por Software (SDP) é uma tecnologia que torna os usuários e os dispositivos invisíveis à visibilidade pública, reduzindo a área de superfície para ataques. Ela controla o acesso a recursos com base na identidade.


Pode ser implantado em Data Centers, filiais e centros de hospedagem. Com esta tecnologia, os usuários têm acesso somente a aplicativos autorizados para reduzir ameaças de dispositivos comprometidos.


Funciona como uma rede de sobreposição privada que conecta usuários e dispositivos pela internet a servidores e aplicativos no Data Center ou Nuvem Pública.


Nesta rede, cada dispositivo tem seu próprio endereço de IP privado, ocultando-o da internet subjacente. Ou seja, é uma tecnologia que intermedia a relação entre os usuários e os aplicativos internos de uma empresa, fornecendo acesso a serviços somente se os critérios corretos forem atendidos, permitindo que as empresas definam quais funcionários podem ter acesso a quais aplicativos.


SDP pode reduzir as ameaças como negação de serviço, exploração de vulnerabilidades de aplicativos e scripts intermediários, por exemplo, eliminando uma grande variedade de ataques, liberando a equipe de segurança para monitorar com mais afinco os demais tipos.


O Perímetro Definido por Software emprega várias tecnologias de rede baseada em software, como a virtualização de rede, segmentação, criptografia de ponta a ponta e controle de acesso à rede somente para convidados.


Mercado de SDP tem grande potencial de crescimento

Pesquisa da Zion Market Research aponta que o mercado de SDP está neste momento em alta e que deve manter em escala de crescimento ao menos até 2024. A simplificação na infraestrutura de proteção das empresas, assim como o aumento por soluções baseadas em Nuvem impactam na necessidade de aquisição de tecnologias avançadas de segurança.


Além disso, muito já se fala em cibercrimes baseados em Inteligência Artificial, Aprendizado de Máquinas e outras tecnologias emergentes, que vão exigir das equipes de TI muitas outras ferramentas para contra atacarem essas ameaças.


De acordo com a pesquisa, as primeiras regiões do globo que sentirão maior impacto no mercado SDP são América do Norte e Ásia/Pacífico, uma vez que existe uma grande quantidade de organizações de pequeno e médio porte que estão adotando soluções baseadas em Nuvem.


Tendências sociais que vão transformar o mercado de segurança digital

SDP é a solução encontrada para o atual contexto corporativo, em que as cargas de trabalho estão cada vez mais em Nuvem e as empresas dependem cada vez mais de conectividade.


É preciso saber, porém, que a cibersegurança passa necessariamente por três pilares: ferramentas tecnológicas, processos de implantação e pessoas, sendo que os dois primeiros estão sendo aprimorados com certa velocidade e eficiência e o último é o mais difícil de ser controlado.


Entre as muitas tendências apontadas para o mercado de cibersegurança para os próximos anos, é possível selecionar três que são as mais macros, englobando outras subcategorias:

 

  • 1 – Chegada ao mercado de uma nova geração de usuários e trabalhadores;
  • 2 – Evolução do phishing;
  • 3 – Maior foco no treinamento dos usuários.

No primeiro caso, a Geração Z – que engloba as pessoas nascidas a partir de 2001 -, começam a entrar já no mercado de trabalho. Nativos digitais, esses jovens estão expostos à tecnologia desde quando nasceram. Transitam facilmente entre os dispositivos, são fluentes na web e têm facilidade para se adaptar às novas mudanças tecnológicas.


Já no segundo caso, quando se fala em evolução de phishing, um levantamento da empresa SecuritylQ mostra que cerca de 30% dos funcionários de grandes empresas mundiais não conseguem sequer identificar um e-mail malicioso e são alvos fáceis para entrada de ataques via e-mails e mensagens.


Por fim, o foco no treinamento do usuário nos remete ao início desta discussão, quando afirmamos que a parte humana é a mais difícil de ser controlada. No primeiro trimestre de 2018, por exemplo, 35% dos incidentes foram causados por mau comportamento dos próprios usuários.


Seja abrindo anexos de e-mails de remetentes desconhecidos, clicando em links maliciosos ou mesmo navegando por páginas infectadas, ou seja, foram os próprios colaboradores que abriram as portas dos servidores corporativos.

 

O Perímetro Definido por Software pode ajudar a resolver parte dessas questões, trazendo novos conceitos para a Transformação Digital.

Categorias: Cloud Computing, Segurança