<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora

O que são dark datas e que riscos eles podem trazer para as empresas

Publicado em 7/jan/2019 5:00:00

Entenda a importância e os riscos desse conjunto de informações.

 

O que são dark datas e que riscos eles podem trazer para as empresas

 

Seja de pequeno, médio ou grande porte, cada empresa busca melhorar todos os dias, visando não só ao crescimento monetário como também à melhoria da qualidade dos seus serviços.


Frente a isso, alguns obstáculos se posicionam no caminho e evitam a concretização desse objetivo. Conheça um deles: o Dark Data.


Pode-se dizer que o Dark Data é, sem sombra de dúvida, uma caixa que é guardada no fundo do armário. Sabemos o que está lá dentro – ou, por vezes, esquecemos – mas não utilizamos seu conteúdo.


Trata-se de toda a informação que não está sendo usada ou que, por qualquer seja o motivo, se tornou inútil para a empresa. São dados ativos que foram organizados, processados e armazenados em algum lugar.


Muitas vezes esses dados, negligenciados com o tempo, acabam se tornando muito antigos para terem qualquer utilidade, podendo, por exemplo, estar incompletos ou desatualizados, analisados erroneamente ou ainda armazenados em formatos de arquivos já não utilizados pela própria empresa.

 

Mas será que todo esse Dark Data é realmente inútil? Engana-se quem diz que sim. Assim como todo pezinho cansado tem seu sapatinho velho, os Dark Datas podem ser úteis para evitar desperdícios e reduzir custos. Mas há um lado negativo: os riscos para a empresa. Veja abaixo com mais detalhes.

 

O risco do Dark Data

Muitas empresas debatem o potencial do Dark Data como provedor de informações estatísticas, mas nem tudo o que reluz é só ouro.


O processamento dessas informações sai muito caro e mantê-las pode implicar algumas multas ou exposição (GDPR). Além disso, destruí-las é arriscado e, por isso, muitas empresas ainda não sabem como lidar com elas.

 

Panorama da Cibersegurança Global: como proteger as redes corporativas de ameaças virtuais?

 

 

A maioria das empresas vê o Dark Data como uma vantagem sem custo e sem risco. Mas, todos sabemos que nada tão bom assim viria sem consequências.
Os Dark Data têm potencial para ajudar tanto quanto possuem potencial para prejudicar. Eles podem colocar em risco a segurança e a imagem de uma empresa. Entenda o motivo:


1. Dark Datas promovem perda de reputação

Violações de segurança dos usuários resultam em um grande risco para a empresa: a falta de credibilidade. Apesar de os Dark Datas serem compostos de dados antigos e desatualizados, muitas vezes há informações de clientes que, se forem divulgadas, podem fazê-los se sentirem violados.


Além disso, qualquer informação do Dark Data que for acessada sem o devido cuidado pode acabar sendo usada para atacar seu sistema de segurança de informação, resultando em perda de credibilidade.


2. Custos adicionais

Estar lado a lado com leis e regulamentos internos e externos pode ser um pouco desgastante ou fazer mal para o seu bolso, apesar de ser o correto a ser feito. Embora os Dark Datas sejam informação armazenada de modo passivo, ainda assim possuem um grande volume de dados.


A lei GDPR, que entrou em vigor em 2018, estabelece que as empresas melhorem seu sistema de segurança – e o Dark Data é um ponto muito fraco nesse aspecto, gerando risco para a empresa – e, caso isso não seja feito, haverá multas significativas.


3. Dados invisíveis

Na contratação de um sistema próprio para empresas, todos os dados armazenados são levados em consideração, mesmo os inúteis ou não utilizados. Esses dados podem se tornar vulneráveis, sendo um risco para a empresa, além de serem caros de manter.


4. Dificuldade na procura de informações relevantes

Se chegou até aqui, você entendeu bem que os Dark Datas podem ser a salvação ou o câncer de uma empresa, seja levando em consideração aspectos éticos e legais ou simplesmente o manejo financeiro.


Eles não possuem um propósito, mas muitas vezes – por serem bastante extensos – acabam atrapalhando na busca de informações realmente relevantes, principalmente quando o sistema faz uso de palavras-chave.

 

Além disso, por se tratar de uma informação não muito confiável – principalmente por ser antiga ou esquecida – não vale muito a pena contratar alguém para sua investigação e busca de algo relevante ou restauração completa.


5. Custos por perda

Todas as pessoas são únicas. Isso não as faz especiais, mas, diferentes umas das outras. Essa linha de raciocínio também é válida quando levamos em consideração os dados de possíveis clientes armazenados no sistema.


Os dados perdem seu valor potencial com até um ano, mas são capazes de sugar anos de investimento ao ocupar espaço desnecessário.


É como ter um porão e jogar tudo o que não é importante, mas queremos guardar, lá dentro. Alguma hora não vai ter mais espaço e mudar de estratégia precisará ser uma opção.

É preciso levar o Dark Data em consideração quando são cotados os riscos que podem afetar a sua empresa, sejam eles de software, TI, comunicação em geral ou, nesse caso, armazenamento de informações.

 

Categorias: Segurança