<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Serviços Gerenciados Cisco Meraki
  • Baixar agora

Quais são as melhores práticas dos sistemas de monitoramento de rede?

Publicado em 8/jan/2019 5:00:00

Centralização de análises e automatização são algumas das possibilidades.

 

Quais são as melhores práticas dos sistemas de monitoramento de rede?

 

Monitoramento sistemático da rede de computadores é um processo fundamental realizado pelo departamento de TI ou fornecedores de serviços do tipo terceirizado.


É uma das ações que precisam ser realizadas com o maior grau de detalhamento possível para avaliar inúmeros fatores, como erros, gaps, cibersegurança e mau uso do sistema.


É a partir desta análise que os especialistas em tecnologia conseguem definir os próximos investimentos, avaliar os desempenhos do negócio e ainda evitar invasões e boicotes, colocando qualquer companhia em risco. Pelo monitoramento, é possível avaliar como o sistema está se comportando durante o uso.


Antes de colocar o monitoramento em prática, entretanto, é preciso fazer um dimensionamento correto do sistema para saber se os recursos estão adequados para a demanda da empresa. Se a rede fica sobrecarregada, a qualidade do acesso aos serviços será afetada, assim como a confiabilidade do sistema.


Melhores práticas

São muitas as possibilidades de se realizar esse monitoramento, mas ultimamente, equipes de especialistas estão sugerindo melhores práticas.


Entre elas está a utilização do armazenamento de dados centralizado, separando as funções de coleta das funções de análise para que possam ser mais ágeis. A inserção deste novo equipamento na rede significa uma mudança também nos processos, em que será preciso pensar em novas maneiras de analisar os dados já existentes no sistema.

 

Cisco Meraki: redes empresariais 100% gerenciadas por Nuvem


Outra prática interessante é fazer o monitoramento de rede de forma automatizada, uma vez que permite que os responsáveis pela TI sejam informados sobre falhas em tempo real, diminuindo o tempo de solução dos casos. Neste processo, o custo de manutenção cai, pois evita que a rede opere no limite da sua capacidade e desgaste seus componentes.


Ter programas de monitoramento com interface simples é outra prática. Existem ferramentas que apresentam gráficos de desempenho que avalia o estado de elementos de rede e programas bem como largura de banda utilizada e uso de CPU, assim como outras que analisam protocolos de rede locais e o tráfego de rede.


A escolha dessas ferramentas deve seguir a demanda de cada negócio e quais são os pontos de maior interesse do monitoramento. Não existe uma combinação padrão que possa se encaixar à necessidade de negócios distintos.


Em resumo, as organizações ainda enfrentam um desafio muito grande para preparar a infraestrutura de suas redes para suportar toda a demanda e todo o potencial das novas tecnologias que estão sendo utilizadas na Transformação Digital.


Se o monitoramento não for eficiente, dificilmente uma empresa conseguirá participar das mudanças da era digital sem sofrer com ciberataques ou grandes períodos de sobrecarga, com lentidão em todo o sistema.


Além de todos os investimentos que devem ser realizados em infraestrutura, novas tecnologias, segurança, o monitoramento é uma ação que jamais poderá sair do radar das empresas que querem se manter competitivas em seus mercados.

Categorias: Redes