<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

Qual a importância da gestão de risco em TI?

Esse processo garante que as empresas controlem as possíveis ameaças e riscos relacionados ao uso da tecnologia em seus negócios.

 

Junto às mudanças no mercado e a Transformação Digital que tem impulsionado as empresas a inovarem e modernizarem seus modelos de negócios, novos desafios estão surgindo.

Contratempos relacionados a cibersegurança, falhas de sistemas, períodos de indisponibilidade, enfim, muitos são os riscos relacionados a tecnologia que as corporações atuais precisam estar prontas para enfrentar.

Para lidar com essa nova realidade e ser capaz de controlar todas as possíveis ameaças de forma eficiente, é crucial investir em uma gestão de riscos em TI na empresa.

A partir desse processo, é possível identificar e antecipar situações que poderiam se tornar graves problemas, evitando prejuízos financeiros, atrasos na produção e entrega, falhas de comunicação, entre outros impactos negativos nos negócios.

A gestão de riscos em TI tem se tornado cada vez mais importante, uma vez que os processos e rotinas organizacionais ficam mais dependentes de recursos tecnológicos para terem sucesso e, por isso, precisam de maiores cuidados e proteção.

Logo, é indispensável conhecer esse processo e aplicá-lo nos negócios. O que você conhece sobre gestão de riscos? Acompanhe o artigo a seguir e entenda a sua importância.


O que é gestão de riscos em TI?

A gestão de riscos em TI é o processo de planejar, organizar e controlar os recursos tecnológicos e pessoas de uma empresa para minimizar as chances de falhas ou danos acontecerem.

Esse projeto visa evitar os desperdícios de recursos e aumentar a efetividade dos processos da empresa por meio de ações preventivas. Além disso, a gestão viabiliza a criação de uma estratégia de segurança da informação para proteger os dados corporativos.

Os envolvidos na gestão são responsáveis por identificar, monitorar, analisar e oferecer soluções eficientes para lidar com eventuais riscos e transformá-los em oportunidades para as empresas.

Há diversos processos envolvidos na gestão de riscos em TI, tais como:

  • mitigação de problemas e sinistros;
  • prevenção de ciberataques e roubos de dados;
  • realização de backups e restauração de conteúdos críticos;
  • adoção de indicadores e métricas para a avaliação dos riscos;
  • manutenção do funcionamento dos sistemas e atividades da TI, entre outros.

 

New call-to-action


A gestão de riscos faz parte da Governança de TI, que reúne as melhores técnicas, práticas e normas a serem seguidas por todos os colaboradores da empresa para se garantir maior segurança para os dados e sistemas corporativos.

O gerenciamento dos riscos possui o propósito de auxiliar na melhoria da performance organizacional por meio da minimização das ameaças. Ele assegura controles mais eficazes e eficientes sob os processos da empresa, além de contribuir para o alinhamento entre TI e as demais operações do negócio.

Por isso a adoção de uma gestão de riscos beneficia alguns pontos da Governança e se torna tão importante para as empresas. Ao aliar essas duas estratégias, é possível maximizar a segurança das soluções tecnológicas utilizadas, reduzindo os problemas e falhas, permitindo que a TI se preocupe com assuntos mais importantes, que agreguem valor à corporação.


Qual a importância da gestão de riscos em TI?

Contar com uma gestão de riscos eficiente pode proporcionar diversas vantagens competitivas para as empresas. Confira a seguir as principais delas:

1. Redução das paradas e interrupções das atividades: por meio do controle de todos os sistemas, é possível evitar erros, instabilidades na rede, ataques cibernéticos e outros problemas, o que aumenta a eficiência de toda a empresa.

2. Proteção contra roubo ou vazamento de dados: as organizações lidam com cada vez mais dados sigilosos e informações pessoais de clientes, por isso, a gestão de riscos é preparada para evitar que esses conteúdos sejam acessados por pessoas mal intencionadas ou problemas no sistema permitam vazamentos.

3. Atualizar softwares e hardwares regularmente: outra dica importante para uma boa gestão de TI é a criação de uma rotina de atualizações de softwares e dispositivos para garantir que todos trabalhem com sua última versão. A atualização das aplicações permite que os usuários tenham sempre acesso a novos recursos e funcionalidades otimizadas. Isso garante ainda que possíveis vulnerabilidades de segurança sejam corrigidas e eliminadas.

4. Prevenção contra desastres naturais: além de combater os cibercriminosos, é possível evitar que desastres, como incêndios, destruição de equipamentos, entre outros imprevistos façam com que as empresas percam seus dados. Na gestão de riscos, rotinas de backups na nuvem são monitorados constantemente.

5. Garantia de que apenas pessoas autorizadas tenham acesso aos sistemas: por meio das práticas da gestão de riscos em TI, os colaboradores passam a ter seu acesso controlado. Assim, cada um poderá controlar ou compartilhar aqueles conteúdos que possui permissão.

A importância de uma gestão de riscos em TI é ampla e pode ser sentida em todos os departamentos da empresa. Por meio dela, ainda é possível implementar uma cultura de proteção dos ativos digitais da empresa, incentivando que todos os colaboradores contribuam para a segurança da informação.

 

Posts relacionados

Como otimizar o monitoramento da infraestrutura de TI?

Conheça o lançamento dos sensores Meraki MT Cisco, que são capazes de garantir visibilidade e segurança para a infraestrutura de seus clientes.

Gerenciamento de serviços de TI: o que é e qual o impacto nos negócios?

Saiba como essa estratégia é capaz de otimizar todo o ciclo de vida da TI em uma empresa e gerar maior vantagem competitiva diante do mercado.

5 grandes erros de gerenciamento de TI que as empresas devem evitar

Um gerenciamento falho em TI pode comprometer a qualidade de qualquer operações do setor, e prejudicar a competitividade geral do negócio no mercado.

Escreva seu comentário