<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

Qual a importância de promover a colaboração entre equipes de segurança e rede?

Publicado em 5/mar/2019 5:00:00

As duas áreas precisam ter um alto grau de confiança uma na outra.

Qual a importância de promover a colaboração entre equipes de segurança e rede?

 

Pesquisa do IDG aponta que mais de 65% de pessoas que trabalham em departamentos de TI e que responderam o questionário, indicam que a empresa em que atuam passou por dois ou mais evento de cibersegurança em um ano, mas que apenas 38% acreditam que a organização seja capaz de se defender contra um ataque digital.


O relatório é muito claro com relação a um dos motivos: a falta de colaboração entre as áreas de segurança e rede, que devem funcionar, inclusive, no mesmo departamento.


Problemas de desconfiança, falta de entrosamento e comunicação, além, claro, de uma gerência que não exige que as áreas se comprometam uma com a outra e também com o negócio, podem causar perdas financeiras e de imagem de um negócio.


A falta de alinhamento acontece exatamente nos pontos em que as duas áreas têm papéis sobrepostos ou complementares. Podendo as duas equipes fazerem a mesma atividade ou nenhuma das duas realizar a ação necessária, se não houver disposição dos colaboradores.


O estudo ainda aponta que 55% dos entrevistados acreditam que existe um alto nível de desconfiança entre as duas equipes, sendo que 43% do pessoal de rede e 58% da turma de segurança cibernética sentem que suas contrapartes não entendem seu papel.

 

Entre em contato

 

O papel dos CIOs nesta batalha

CIOs devem ter envolvimento total quando o assunto é cibersegurança da organização na qual trabalha. O Chief Information Officer é o responsável pela TI da empresa. É o administrador dos recursos, das estruturas e das pessoas do departamento de tecnologia. É ele quem deve garantir que os projetos sejam concluídos em tempo hábil e dentro do orçamento disponível.


Por estes motivos, a gestão de pessoas, o comportamento das equipes e a falta de colaboração entre eles também é de sua alçada.


Pesquisa do Gartner indica que a cibersegurança continua sendo uma grande preocupação para as companhias, uma vez que muitos criminosos não apenas operam de forma que as organizações tentam antecipar, mas também demonstram agilidade para se adaptarem a ambientes que estejam em transformação contínua.


Se utilizam de ataques antigos e híbridos – misturando processos antigos com novos – e mesmo ações inéditas, com centenas de variáveis e possibilidades que os especialistas em cibersegurança precisam primeiro evitar e, caso necessário, combater.


Este contexto exige um departamento de TI conciso, junto, trabalhando em consonância tendo como meta comum a segurança geral dos dados da empresa.


O papel de cada um

O colaborador que atua com rede tem como atribuição principal o gerenciamento da rede local, bem como dos recursos computacionais relacionados direta ou indiretamente. Além de cuidar da instalação, configuração e manutenção dos sistemas operacionais e de serviços de infraestrutura de TI.


Já o colaborador que atua com segurança cibernética deve fazer a manutenção do esquema de segurança da rede, incluindo a segurança de equipamentos, dos dados e de sistemas operacionais. Este profissional propõe, implementa e monitora a política de segurança quanto ao uso de recursos computacionais.


Ou seja, em diversos momentos as duas áreas atuam em conjunto e é essencial que caminhem juntos. Por mais que possam existir rixas de mercado, o pensamento deve ser em atender genuinamente os interesses da empresa.

Categorias: Segurança, Redes