<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Baixar E-book
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Marketplace
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora
  • Baixar E-book
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • Baixar agora
  • Baixar agora

Qual é o papel do CIO no comando da cibersegurança?

Publicado em 4/fev/2019 5:00:00

O CIO é o responsável pela TI da empresa, por isso, deve estar envolvido em todo processo.

 

Qual é o papel do CIO no comando da cibersegurança?

 

O Chief Information Officer (CIO) é o responsável pela TI da empresa. É o administrador dos recursos, das estruturas e das pessoas do departamento de tecnologia. Ele deve garantir que os projetos sejam concluídos em tempo hábil e dentro do orçamento disponível.


E qual seria a participação deste cargo nas questões de cibersegurança? A resposta é: envolvimento total! Sendo o CIO responsável por todas as decisões de TI de uma empresa, além de conhecer toda a parte técnica, ser um gestor eficiente, ainda precisa acompanhar o mercado de cibersegurança para saber tomar as melhores decisões quando necessário.


Também é um gestor que transita em muitas outras áreas, tem o contato com outras diretorias e consegue ter uma visão multidisciplinar da importância da informação para a empresa e como devem ser trabalhadas para colaborar com a Transformação Digital.


Além disso, o CIO conhece as ferramentas que a empresa possuem disponíveis, tem uma visão geral de todo o sistema, conhece o perfil de cada membro da equipe, conhece o orçamento disponível e formas de conseguir mais verba para o departamento.


É, portanto, a pessoa certa para tomar as decisões mais estratégicas, pensado especialmente em formas de conter ameaças e mantendo a rede em segurança.

 

Baixar e-book grátis


Gartner: 35% das empresas não tem um especialista em cibersegurança
De acordo com a pesquisa do Gartner Agenda CIO 2018, 95% desses profissionais acreditam que as ameaças cibernéticas vão aumentar nos próximos três anos.


Apesar disso, apenas 65% das empresas contam com especialistas em cibersegurança, ampliando ainda mais a responsabilidade do CIO por organizar bases seguras em médio e longo prazo ou até que um profissional mais habilitado seja contratado.


Mesmo que não consigam proteger suas organizações de tudo, os CIOs precisam criar um conjunto sustentável de indicadores e controles que possam equilibrar a necessidade de proteger com a possibilidade de executar. Quais as ferramentas que obrigatoriamente devem estar no sistema e qual o orçamento que a empresa tem para contratar essa tecnologia e mantê-la.

 

Fazer um levantamento das principais ameaças que estão circulando o mercado e as principais fraquezas do próprio sistema já acende uma luz para traçar um plano de ação. Participar de fóruns de discussão sobre como ataques foram mitigados e estudar casos de sucesso de defesa são fundamentais para os CIOs.


A pesquisa também indica que a cibersegurança continua sendo uma grande preocupação para as companhias, uma vez que muitos criminosos não apenas operam de forma que as organizações tentam antecipar, mas também demonstram agilidade para se adaptarem a ambientes que estejam em transformação contínua.


Se utilizam de ataques antigos e híbridos – misturando processos antigos com novos – e mesmo ações inéditas, com centenas de variáveis e possibilidades que os especialistas em cibersegurança precisam primeiro evitar e, caso necessário, combater.


Enfim, o crescimento de ataques é eminente e uma certeza para grande parte dos CIOs. Com a Transformação Digital e os investimentos das organizações em mais tecnologia, a preocupação com cibersegurança deve ser mesmo real.

 

Mesmo que a organização tenha um especialistas capaz de proteger o sistema, é dever do CIO acompanhar todo o processo e buscar soluções para ajudar internamente a equipe.

Categorias: Segurança, Carreira em TI