<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

ROI e TCO de TI: o que são e como impactam os negócios?

Entenda como o cálculo dessas duas métricas pode ser vital para o sucesso dos investimentos em tecnologia e descubra como a Cloud Computing pode otimizar os resultados.



As empresas estão cada vez mais dependentes de tecnologia para a sobrevivência de seus negócios. Ela está presente desde simples tarefas operacionais até nas tomadas de decisões importantes para o empreendimento. Por isso o investimento em infraestruturas de TI passou a ser constante. 

No entanto, com tantos investimentos em aplicações, servidores e bancos de dados, os ambientes de TI tornaram-se cada vez mais complexos e, para gerenciar e suportar essa crescente demanda, as empresas passaram a buscar pela computação em nuvem.

Todos esses investimentos em TI passaram a assumir um papel muito importante para os negócios. Portanto as métricas de ROI e TCO precisaram ser aplicadas também nesse setor para que fosse possível medir os resultados alcançados com tecnologia.

ROI e TCO são utilizadas para analisar investimentos e acompanhar os resultados deles. Quando aplicadas ao uso de tecnologia da informação são capazes de proporcionar uma visão mais ampla sobre como todos os recursos utilizados estão impactando no empreendimento como um todo. 

Ao analisar efetivamente essas duas métricas, as empresas passam a ter as informações necessárias para tomar decisões mais precisas e confiáveis sobre quais tecnologias implementar, além de poder aplicar os resultados ao seu plano de negócios. Você sabe como calculá-las? Entende o impacto que cada uma tem sobre os negócios? Acompanhe o conteúdo a seguir e descubra!

O que é ROI e qual a importância?

Return on Investment, ou, em português, Retorno sobre Investimento é um indicador utilizado para entender quanto dinheiro uma empresa ganhou ou perdeu a partir de um investimento realizado. 

Por meio dela, é possível identificar quais são os valores reais trazidos por um investimento e se ele realmente valeu a pena para os negócios. Assim, a empresa consegue eliminar aqueles que estão trazendo prejuízo e continuar apostando naqueles com melhor retorno.

O ROI é a métrica mais utilizada pelas empresas para justificar investimentos em TI, pois ela é capaz de apontar o tempo necessário para que a empresa possa recuperar o capital investido e o potencial que um projeto tem de gerar lucros. 

Esse indicador é muito valioso para o setor de TI, pois ajuda os gestores a analisar se o empreendimento vale a pena e se é o melhor momento para fazê-lo, principalmente em empresas que ainda veem os investimento em tecnologia como gastos desnecessários.

Explore nosso conteúdo sobre o Novo Normal Cisco.

Por meio do ROI, os gestores podem responder as principais perguntas da diretoria sobre investimentos em tecnologia:

  • Quão eficiente está sendo a estratégia atual.
  • Quais as maiores fontes de lucro vindos da TI;
  • Quais as maiores fontes de prejuízo vindos da TI; entre outras.

Como calcular o ROI?

Para que a TI possa chegar a um resultado, é necessário seguir uma fórmula simples de se calcular o ROI, que deduz os custos da receita e divide o resultado pelo custo novamente: (Receita - custo) / custo.

Por meio desse cálculo, é possível avaliar se vale a pena ou não investir em determinada solução tecnológica e em quanto tempo será possível alcançar o retorno do investimento nessa nova contratação.

Desse modo, os gestores conseguem tomar decisões mais inteligentes e rentáveis sobre quais implementações devem ser feitas para trazer melhores resultados para os negócios.

ROI e Cloud Computing

A computação em Nuvem é uma grande aliada das empresas, pois seus recursos garantem melhoria de processos, otimização da segurança, redução de custos, entre outros benefícios. 

Além disso, ela pode contribuir para a otimização do ROI. Ao investir em Cloud Computing ao invés de adquirir novos equipamentos e infraestruturas físicas de TI, as empresas conseguem diminuir os custos de investimento, aumentando, assim, sua receita.

O que é TCO?

TCO é a sigla de Total Cost of Ownership (Custo Total de Propriedade) e é utilizada para analisar o custo de aquisição e de vida de uma nova solução adquirida pela empresa. 

Ela fornece uma análise mais abrangente sobre os novos investimentos da empresa, conseguindo avaliar desde seus custos iniciais, os gastos ao longo de seu ciclo de vida, até o seu descarte.

Quando falamos em aquisição de novas tecnologias, muitos gastos em seu ciclo de vida devem ser considerados, tais como: sua implementação, treinamento dos colaboradores, manutenção, suporte e atualização. 

O acompanhamento da métrica TCO é fundamental para todas as empresas justamente por oferecer essa visão mais ampla sobre os investimentos realizados. Assim, os gestores conseguem entender realmente se eles estão gerando lucros para os negócios.

Como calcular o TCO?

Para realizar esse cálculo, é fundamental que os gestores de TI saibam exatamente qual é a finalidade da nova aquisição e quais os resultados esperados com o investimento. Além disso, é preciso considerar todos os gastos inerentes a solução ao longo de sua vida útil.

Todos os gastos que envolvem o TCO são divididos em três categorias. São elas:

  • Aquisição: todos os valores referentes à compra do hardware/software, novos equipamentos, entre outros gastos iniciais;
  • Implementação: nessa categoria estão os gastos referentes à instalação da nova solução, valores relacionados a treinamento, testes, entre outros;
  • Manutenção: finalmente, as quantias referentes a manter os equipamentos funcionando corretamente, como reparos, inspeções, licenças, garantias, etc.

Após identificar todos esses custos, a TI deve somá-los para obter o TCO desse investimento. A partir desse cálculo, é possível perceber qual aquisição será um melhor investimento a longo prazo.

Desse modo, os gestores poderão evitar compras, que inicialmente parecem mais atrativas por seus custos iniciais reduzidos, mas que ao longo do tempo podem causar maiores prejuízos. 

TCO e a Cloud Computing

O investimento em computação em nuvem também pode contribuir para que as empresas reduzam seus custos totais de propriedade. Isso é possível porque com a Cloud Computing não é necessário investir em infraestruturas locais robustas. 

Desse modo, os custos iniciais são reduzidos, assim como aqueles a longo prazo de manutenção e substituição. Todas essas responsabilidades ficam por conta do fornecedor do serviço. Logo, a empresa irá precisar se preocupar apenas com a mensalidade do serviço contratado. 

As métricas ROI e TCO são muito importantes para que as empresas consigam realizar os investimentos corretos em tecnologia. Por meio delas, é possível ter uma visão mais ampla e precisa sobre todos os gastos e lucratividade futuros. Ao aliá-las à Cloud Computing, a organização ainda consegue otimizar seus investimentos e conquistar melhores resultados para os negócios.

 

Posts relacionados

5 dicas para manter as vendas de serviços de TI e enfrentar a crise

A tecnologia é indispensável para que as empresas consigam superar os contratempos atuais. Veja como apoiar seus clientes e manter as vendas em dia. 

Como precificar os serviços de TI de sua revenda?

Para conquistar cada vez mais clientes e se manter competitivo, é fundamental definir os valores certos para cada serviço de seu portfólio.

Como as revendas de TI devem agir para entregar valor aos clientes?

Ser capaz de entender as necessidades dos consumidores e acompanhar as tendências do mercado são passos importantes para a geração de valor em TI.

Escreva seu comentário