<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL COMSTOR
O blog dos negócios de TI.

Shadow IT: quais os riscos para as empresas?

Entenda como essa prática silenciosa pode abrir brechas para ciberameaças e prejudicar os negócios de seus clientes.

 

Garantir a segurança da informação é um desafio diário para todas as empresas. A medida que a tecnologia passou a fazer parte da rotina corporativa e diversas ferramentas e dispositivos começaram a ser utilizados pelos usuários essa tarefa passou a ser ainda mais complexa.

A Cloud Computing, por exemplo, tornou-se fundamental para o desenvolvimento de tarefas do dia a dia dos colaboradores e é responsável por armazenar diversas informações da organização. Apesar dessa tendência proporcionar grandes benefícios, facilitando o acesso aos dados, também pode aumentar as vulnerabilidades a perigos que o uso descontrolado dessas ferramentas podem trazer para a empresa.

Muitas vezes, os usuários acabam utilizando serviços na Nuvem sem que o setor de TI da empresa tenha conhecimento. Essa prática é conhecida como Shadow IT e pode trazer grandes riscos para a segurança dos dados corporativos.

Você sabe como funciona essa prática e o que é necessário para controlar os riscos proporcionados por ela? Confira o conteúdo a seguir e descubra!

O que é Shadow IT?

Shadow IT ou TI invisível refere-se a dispositivos, softwares e serviços utilizados pelos usuários que estejam fora do controle do departamento de tecnologia da empresa.

Essa prática acontece quando um usuário decide utilizar serviços baseados na Nuvem sem a aprovação formal da empresa.

Muitas vezes, para facilitar a realização de suas funções, os funcionários passam a utilizar aplicativos de gerenciamento de tarefas, agendas onlines, entre outros disponíveis no mercado, os quais prometem proporcionar maior rapidez e controle sobre a realização de atividades do dia a dia.

O problema é que nem sempre esses aplicativos passam pela aprovação do departamento de TI e por isso não são devidamente controlados. Isso pode gerar diversos contratempos, pois abre brechas na segurança da informação.

Saiba mais

Quais os riscos do Shadow IT para as empresas?

Um dos principais riscos dessa prática é que os dados utilizados nessas aplicações talvez não estejam protegidos corretamente ou em conformidade com os padrões da organização. Esses dados são difíceis de rastrear, o que torna a Shadow IT perigosa para qualquer empresa.

Quando um usuário instala e configura aplicações em Nuvem na estação de trabalho sem verificar com a TI se ela é realmente segura pode-se criar vulnerabilidades para potenciais invasores. Com isso, a rede interna da organização passa a ficar exposta a acessos indevidos.

Agora, com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) prestes a entrar em vigor, a atenção com esse tipo de perigo deve ser ainda maior, pois uma violação aos dados críticos do negócio e informações pessoais de clientes pode levar a processos judiciais no futuro e multas altíssimas.

Conheça a seguir os principais riscos que a Shadow IT pode trazer para os negócios:

Vazamento de dados

A TI é responsável por monitorar todos os acessos dos colaboradores às informações da organização. Cada usuário tem um tipo de acesso e apenas pode manipular conteúdos disponíveis para seu nível de permissão.

Quando um usuário passa a utilizar aplicações na Nuvem que fogem do controle da equipe de TI, o gerenciamento deixa de ser realizado e esses aplicativos suspeitos podem conter malwares capazes de acessar as máquinas dos colaboradores e vazar dados sigilosos.

Ruídos na comunicação interna

Graças aos avanços tecnológicos adotados pelas empresas, é possível tornar os departamentos cada vez mais integrados. Diversas soluções podem ser utilizadas para que todos tenham acesso às mesmas informações e possam desenvolver seus trabalhos de forma compartilhada.

No entanto, quando alguém instala programas sem a autorização, passa a trabalhar de forma isolada, sem a colaboração de sua equipe, além de dificultar a gestão da TI. Nessas situações, a comunicação interna é totalmente afetada e interrompida.

Dificuldades no controle interno

As equipes de TI possuem rotinas de controle interno para garantir que todos as ferramentas e equipamentos utilizados pela empresa estejam funcionando corretamente e em segurança.

Há normas e diretrizes que devem ser seguidos por todos para garantir uma efetiva segurança da informação e o controle interno é realizado para garantir que todas ela estão sendo cumpridas.

Agora, quando há aplicações e programas nos computadores sem autorização, o controle interno passa a não ser tão efetivo, deixando ameaças passarem despercebidas.

A gestão de TI é realizada para garantir que todos os sistemas corporativos estejam seguros e funcionando corretamente. Por isso, é fundamental que nenhuma aplicação seja instalada de forma inadequada.

Desse modo, é necessário determinar boas práticas de uso da tecnologia dentro das empresas e garantir que todos os funcionários tenham conhecimento delas. Para isso, deve-se inserir na rotina da organização:

  • Treinamentos periódicos com os funcionários;
  • Padronização dos aplicativos instalados;
  • Soluções de login único;
  • Políticas de segurança da informação.

A Cloud Computing é uma tendência que tem proporcionado, cada vez mais, benefícios para os negócios, portanto o seu uso nos negócios continuará crescendo. Para que isso não fuja do controle, a organização precisa ficar de olho na prática Shadow IT em seus ambientes e garantir que ela não seja utilizada por seus colaboradores. Dessa forma, é possível aproveitar todas as vantagens dessa tecnologia e manter a segurança das informações.

Posts relacionados

6 ações para acelerar a adequação à LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados está próxima de entrar em vigor e aquelas organizações que não estiverem preparadas poderão sofrer penalidades gravíssimas.

Qual a importância da governança de TI para o setor financeiro?

Esse setor lida com dados críticos de seus clientes, portanto precisam investir em processos de segurança efetivos. Entenda como a governança de TI pode ajudar.

BYOD e Data Center corporativo: qual a relação e como garantir a segurança dos dados?

Essa prática já é utilizada pela maioria das empresas. No entanto, muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre como ela impacta na proteção dos dados corporativos.

Escreva seu comentário