<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=633097343493783&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
canal-comstor-logo
O blog dos negócios de TI.
Comstor Americas
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis
  • Partner Portal
  • 7 benefícios da videoconferência: colaboração e comunicação a favor de bons negócios
  • 14 dicas de marketing para revendas de TI
  • Baixar agora
  • Baixar E-book grátis

Transformação Digital cria nova geração de CIOs

Publicado em 24/ago/2017 5:00:00

A mudança nos orçamentos de tecnologia, as habilidades e os novos desafios estão mudando o perfil dos líderes de TI.

 

Transformação Digital cria nova geração de CIOs

À medida que a transformação digital vem prometendo modificar completamente o mundo dos negócios, muitas empresas têm buscado soluções para se tornarem disruptivas e encontrar respostas para essas mudanças, mas para a maioria dos CIOs isso já não é novidade.

 

A necessidade de aproveitar os dados dos clientes levou ao surgimento de executivos experientes em tecnologia com títulos como diretor da área digital, diretor de tecnologia de marketing, entre outros. Mas isso não se trata apenas de um cargo de trabalho: o orçamento de um CMO para tecnologia está se aproximando do orçamento de um CIO - por mais estranho que isso pareça - e pode até ultrapassá-lo nos próximos anos, de acordo com o Gartner. E isso tem acontecido devido ao crescimento da influência do CMO nas decisões de TI, já que a demanda pela análise de dados como base para qualquer ação de marketing está crescendo também.

 

Um pouco disso tem a ver com a falta de inovação vinda do CIO. Se os líderes de TI mais experientes estiverem focados no modelo tradicional de negócios, existe um sério risco de ficarem para trás e não serem mais envolvidos nas principais decisões executivas da organização.

 

Esse artigo é importante para dois tipos de público: CIOs que podem enxergar, mais claramente, o que é preciso focar os esforços no que se refere à forma como se trabalha, e profissionais de revendas de TI que atendem grandes empresas com altos cargos executivos e que podem auxiliar estes colaboradores oferecendo soluções que atendam suas demandas de tecnologia e de negócios.

14 dicas de marketing para revendas de TI

O CIO e a experiência do cliente

Nos últimos 10 anos, o número de pontos de contato com o cliente digital - e os dados associados com eles - cresceu exponencialmente. Os CIOs que enxergam sua função principal como gestão interna de sistemas de TI não estão bem posicionados para entregar as informações que os negócios precisam para otimizar a experiência do consumidor. Além disso, ele precisa perceber que possui anos de experiência com relação ao cliente, que ele precisa entender as necessidades e vontades do cliente, e precisa entender como se conectar com o consumidor.

 

Isso significa que os CIOs precisam estar tão ligados nas necessidades dos clientes quanto os CMOs, que naturalmente já trabalham com essas questões, já que sua área é totalmente desenvolvida para pensar na experiência e jornada do cliente. No entanto, o líder de TI tem que entender essa mudança para não ficar para trás. E para isso, é importante buscar nos dados - a fonte contínua de insights sobre o cliente - as respostas e não enxergá-los da maneira que sempre enxergaram.

 

Dados são vitais

Hoje, os dados comandam todas as decisões de negócios, principalmente da perspectiva da equipe de TI e as empresas querem saber como otimizar o trabalho em cima destes dados, a fim de ganhar vantagem competitiva. No entanto, ainda existia uma certa relutância por parte dos CIOs e CMOs na utilização dessas informações, o que, segundo o vice-presidente da Forrester Research, Nigel Fenwick é uma das principais razões do crescimento do cargo de CDO ou Chief Digital Officer.

 

No entanto, esse crescimento é a demonstração de uma falha dos CIOs, pelo menos em alguns casos, de buscar uma evolução na carreira e adicionar novas habilidades e conhecimentos em seus currículos. Eles precisam ser capazes de responder certas dúvidas da empresa com relação ao cliente. Por exemplo: como reduzir o churn, como limitar a exposição ao risco ou identificar potenciais fraudes. Não há necessidade de se tornarem especialistas em dados, mas precisam saber se os dados podem ser usados para resolver essas questões.

 

No entanto, muitos CIOs não estão levando os dados suficientemente a sério.

 

Como resolver esse problema?

Organizações inteligentes criam equipes colaborativas com base nos pontos fortes de cada colaborador. Ainda assim, o CIO não pode deixar de analisar os investimentos em TI e avaliar qual é a melhor opção. É preciso complementar suas funções com tarefas mais voltadas para a área de negócios.

 

Isso é importante para evitar casos em que, por exemplo, o CMO chega com uma ideia super interessante e inovadora, perguntando se é possível implementá-la na empresa. Um CIO preparado consegue responder: essa solução não é exatamente o que a nossa organização precisa dentro desta área. Podemos conversar sobre quais as necessidades de negócios para pensarmos em quais soluções devemos investir. Isso não significa que o líder de TI quer dar ordens, mas sim que ele está tentando entender quais são as necessidades para encontrar a melhor resposta.

 

 

Fontes:

http://www.cio.com/article/3207542/leadership-management/the-skills-and-traits-of-a-next-generation-cio

http://www.cio.com/article/3163000/cio-role/state-of-the-cio-2017-more-challenging-still-complicated

Categorias: CIO, Liderança em TI, Transformação Digital, Digitalização, CMO